Bem vindo ao site da FESERP MG

E-mail:

feserpjf@gmail.com

Visite-nos:

Rua Dona Mariana Evangelista 37/102, Poço Rico, JF/MG CEP: 36010-430

Artigos

Nosso repúdio ao discurso de Nizan Guanaes no Conselhão – Déficit de humanidade

Quando assisti à reportagem sobre a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que aconteceu no dia 21 de novembro, fiquei possesso ao ver o discurso do senhor Nizan Guanaes. Mas quem é esse senhor? Nizan Guanaes é baiano, forte empresário do segmento da Comunicação, publicitário e sócio do grupo ABC de Comunicação – ou seja, o cara não é fraco não. Em sua fala, ele pediu para o presidente Michel Temer aproveitar o atual momento, em que sua popularidade está em baixa, para aprovar as medidas impopulares e as reformas que a maioria dos brasileiros repudia. Esse senhor teve ainda a desfaçatez de dizer que um alto índice de popularidade “é uma jaula” para qualquer presidente da República, pois com a popularidade em alta nenhum presidente se arrisca a fazer transformações e reformas que coloquem em xeque a sua aprovação popular. Pediu ainda urgência na aprovação da reforma trabalhista, alegando que o “empresariado nacional não pode competir no mundo com leis da época de Getúlio Vargas” e, pasmem, esse canalha, inimigo dos trabalhadores brasileiros, disse também que o desafio das democracias é encarar as medidas impopulares.

Entendi muito bem o discurso dele e para mim está muito claro o que ele quer. Tudo se resume assim: “Olha, Temer, aproveita que o tempo é curto e passa o trator em cima dos trabalhadores, passa o rolo compressor e faça o que tem que ser feito”. Um verdadeiro absurdo a fala desse crápula, que se diz empresário, mas que está mais para lobista de grandes corporações, longe de ser um empresário sério.
Primeiro é preciso frisar que a impopularidade do atual governo caminha junto com a impopularidade da classe política como um todo. E também se deve ao fato de vários componentes desse Governo estarem sendo sistematicamente citados em casos de corrupção e tráfico de influência. O povo brasileiro está de “saco cheio” e não aquenta mais ver tanta bandalheira, tanta corrupção e tanta mentira. O desafio da Democracia é acabar com as desigualdades, acabar com a fome, acabar com a mortalidade infantil, cuidar da infância dos brasileiros (não queremos mais campanhas de “Criança Esperança” e sim dar esperança às nossas crianças), acabar com o analfabetismo e acabar com políticos e empresários corruptos. O desafio da Democracia no Brasil é acabar com a casta e as oligarquias das famílias que dominam estados e regiões, usufruindo de privilégios, enquanto milhares passam fome ao lado deles. O desafio da Democracia no Brasil é acabar com a péssima imagem que o nosso país é “uma República de Bananas” e instalar um Estado social e democrático de direito com maiores oportunidades para todos.
O problema da crise no Brasil não são as leis deixadas por Getúlio Vargas, mas sim a ladroagem que assola o nosso país.
Defendo a prisão de qualquer homem público, seja de qual partido for. Precisamos moralizar o nosso país. O Brasil precisa ser passado a limpo.
Com certeza, este senhor, Nizan Guanaes, é um homem que sempre se deu bem na vida e desconhece o sofrimento humano, o sofrimento de quem depende do SUS, o sofrimento de quem ganha menos de um salário mínimo para sobreviver. Com certeza, esse “mosca azul” só anda de avião e não vê de perto a pobreza e a miséria do nosso povo.
Nosso repúdio ao discurso desse representante da direita, desse filhote das elites. Nosso repúdio ao PL 55, que congela investimentos em Educação, Saúde e Segurança por 20 anos (mas não congela o pagamento da dívida pública, hoje em 47,5% do Orçamento), afetando diretamente os serviços públicos. Nosso repúdio a qualquer reforma da Previdência, que venha colocar nas costas do trabalhador o pagamento da conta. Nosso repúdio à reforma trabalhista, que venha a tirar direitos dos trabalhadores – principalmente a questão do “acordado sobre o legislado”, que vai enfraquecer essa relação já desigual entre patrões e empregados. E nossa defesa intransigente da CLT, deixada por Getúlio Vargas.
O povo faz o seu momento e na minha terra tem um ditado muito oportuno que diz o seguinte: “O aperto do fogo é que faz o sapo pular”.
Acorda Brasil!

Cosme Nogueira
Presidente da FESERP-MG

Últimos Artigos

Conheça as vantagens de ser um afiliado. Junte-se a nós e aproveite.