Bem vindo ao site da FESMIG

E-mail:

atendimento@fesmig.com.br

Visite-nos:

Rua São Sebastião, 780, Centro, Juiz de Fora/MG CEP: 36.015-410

Notícias

1º dia da Plenária Sindical da Região Sudeste expõe a obrigação de fortalecimento do serviço público no âmbito sindical e político

Para a conclusão do 1º dia (25/05) da Plenária Sindical da Região Sudeste a Plenária Sindical da Região Sudeste,  organizada pela direção da Feserp Minas (Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais de Minas Gerais) juntamente ao Sinserpu MB (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Matias Barbosa), foram discutidas as Perspectivas de Futuro para o Movimento Sindical e feita a Análise da conjuntura política atual do país. Nas mesas, ficou explícito como é preciso o fortalecimento e a representação do serviço públicos nos setores sindical e político, com capacitação e influência das lideranças sindicais para mobilizar as bases, promover mudanças legislativas e, por fim, melhoras para a vida trabalhista dos servidores.

Foi um dia extremamente proveitoso para todos que participaram da Plenária. Lideranças sindicais, juristas, políticos e aliados de luta emitiram suas opiniões e enriqueceram os conhecimentos sobre temas relevantes para o meio sindical, para o desenvolvimento do país e principalmente para os servidores e demais trabalhadores.

Veja, a seguir, as principais discussões levantadas durante a tarde desta quinta-feira, 25 de maio.

Mesa de Debate | Perspectivas de Futuro para o Movimento Sindical 

Lineu Mazano, presidente da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo (FESSP-ESP) e diretor da NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores), iniciou o debate deixando claro que houve uma vitória ao colocar um governo democrático no Governo Federal, “temos a oportunidade de fazer mais nesses 4 anos”. De acordo com Lineu, a tarefa das lideranças sindicais é se capacitar para lidar com maior efetividade na luta. O sindicalista falou muito sobre o Marco Regulatório proposto pela Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), que vai além da organização sindical, amplia para todas relações de trabalho com o serviço público, e, claro, com direito de mediação pelo sindicalismo. “É importante que possamos expandir nossa atuação, como, por exemplo, a participação junto a entidades sindicais de outros países e com a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

“É preciso ter fortalecimento da pirâmide sindical (centrais, confederações, federações e sindicatos), porque, por exemplo, as associações federais sem regulamentação e combatividade necessária, acabam atrapalhando a luta sindical”, assim prosseguiu a discussão o presidente da Fesmepar (Federação dos Sindicatos de Servidores Municipais e Estaduais do Paraná) e Secretário Nacional do Servidor Público da UGT (União Geral dos Trabalhadores) Luís Carlos de Oliveira.

Para falar das negociações com o Governo Lula, Cristina Helena, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Itapira e coordenadora da Secretaria Nacional do Setor Público da Força Sindical, esclareceu que os Grupos de Trabalho propostos pelo Ministério de Trabalho, nas quais o próprio governo determina as cadeiras, e para isso, a ocupação dos representantes das centrais precisam obedecer o caráter confederativo da pirâmide sindical. Isso é imprescindível para a valorização do sindicalismo num espaço regulamentado.

Ao pensar sobre um futuro do mundo sindical, Antonieta de Cássia Dorledo de Faria, presidente do Sisipsemg (Sindicato dos servidores do Instituto de Previdência de Minas Gerais), destaca que além de qualificar os dirigentes sindicais, precisamos ter em mente que servidor público precisa eleger servidor público. Segundo a sindicalista, existem várias representações entre os políticos eleitos, as chamadas “bancadas”, e não existe nenhuma bancada do serviço público para defender a classe.

Cosme Nogueira concluiu o debate comunicando que os Sindicatos precisam fazer debate político sobre a conjuntura nacional e a realidade municipal. Segundo o líder da Feserp Minas, nenhuma entidade pode apenas atender os servidores, receber convênios ou fazer as negociações, por exemplo. “Sem um pensamento crítico construído com a diretoria, fica difícil fazer a defesa dos trabalhadores, se não o sindicalista vira apenas uma espécie de “máquina” que cumpre suas atribuições sindicais”, analisou o presidente da Federação.

Palestra | Análise  da conjuntura política atual do país – Palestrante: Professor Roberto Copollilo, o Betão – Deputado Estadual – PT/MG

O deputado faz um amparo geral sobre a realidade mundial, desde a guerra entre a Ucrânia e a Rússia até o contexto histórico recente do Brasil com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Esses momentos são cruciais para entender o contexto político nacional. E por esse cenário, Betão lembrou que a luta está aliada à classe trabalhadora, ressaltando como é importante a representação de trabalhadores, começando isso em âmbito municipal. Tal representação precisa ser específica, uma vez que as relações de trabalho no Brasil estão cada vez menos regulamentadas para algumas categorias, como MEI’s e PJ’s.

Após uma breve explanação, Betão abriu a possibilidade de perguntas para os participantes. Os principais tópicos levantados foram a implementação do piso salarial do Magistério e da Enfermagem, além de pautas locais.

Sessão Solene | Homenagens a personalidades que lutaram e ainda lutam por uma sociedade igualitária

A justa homenagem para todas essas pessoas evidencia a essência da Feserp Minas em valorizar pessoas que foram importantes na trajetória da entidade, das cidades mineiras e/ou na conjuntura sindical. Confira o nome dos homenageados:

  • Professora Regina Nunes (in memoriam)
  • Professora Sandra Salles (in memoriam)
  • Dona Nair Resende (in memoriam) 
  • Dona Isa Delgado (in memoriam) 
  • Dona Dunga (in memoriam) 
  • Antônio Horta Gonçalves (in memoriam) 
  • Dona Joana Barbosa (in memoriam) 
  • Dona Norma Riani (in memoriam)
  • Câmara Municipal de Matias Barbosa
  • Regis José de Oliveira 
  • Projeto Pérolas Negras de Leopoldina 
  • Jose Avelino Pereira, o Chinelo
  • Lineu Mazano 
  • Fesmepar 
  • Cristina Helena
  • Jorge Antônio da Silva, o Jorginho
  • Rosalvo de Jeses
  • Antonieta de Cássia, a Tieta
  • Abadia
  • Cosme Nogueira

Amanhã, 26 de maio, a programação da Plenária continua para contribuir com a luta coletiva pelos servidores.

É a Feserp Minas atuante e influente na defesa do serviço público e da classe trabalhadora.

 

Imprensa Feserp Minas

Conheça as vantagens de ser um afiliado. Junte-se a nós e aproveite.