Coragem, Determinação, Transparência

Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

 

 

 

 

SINSERPU-JF – Sindicato dos Trabalhadores, Funcionários e Servidores Municipais da Administração Direta, Indireta, Fundações Autarquias, Empresas Públicas e Associações Civis da Prefeitura do Município de Juiz de Fora

Rua São Sebastião, 780, Centro

CEP: 36.015-410 – Juiz de Fora/MG

E-Mail: sinserpujf@veloxmail.com.br

(32)  3215-1855

( 32)  3215-5907

Diretoria

AMARILDO ROMANAZZI DA FONSECA – Presidente

ANTONIO CARLOS DE SANT ANA – Tesoureiro

ALAIRTE MARTINS – Diretor

ANTONIO PEDRO DE OLIVEIRA – Diretor

CARLOS ROBERTO BIZZOTTI – Diretor

COSME RICARDO GOMES NOGUEIRA – Diretor

ELIANE DE OLIVEIRA – Diretor

EMILIO LEANDRO DE AS – Diretor

FERNANDA DE OLIVEIRA CARVALHO – Diretor

FRANCISCO CARLOS DA SILVA – Diretor

GERALDO ZEFERINO VIEIRA – Diretor

JOAO BATISTA LEONEL – Diretor

JOAQUIM TAVARES DE SOUZA NETO – Diretor

JOSE ANTONIO MARTINS – Diretor

JOSIMAR DOMINGOS FERNANDES – Diretor

JUCARA CIPRIANO MARTINS – Diretor

LIONE APARECIDA SANTOS – Diretor

LUIZ GUSTAVO MATEUS NASCIMENTO – Diretor

MANUEL MARTINS MORAES – Diretor

MARIA DA PENHA DANIEL – Diretor

MARIA DE FATIMA REZENDE – Diretor

NERCILIO DE SOUSA – Diretor

PAULO AZARIAS – Diretor

PAULO HENRIQUE DE OLIVEIRA – Diretor

REGIS JOSE DE OLIVEIRA – Diretor

SAIONARA APOLINARIO – Diretor

TADEU JOSE VIEIRA – Diretor

VANILSON GOMES DE OLIVEIRA – Diretor

EDUARDO DUARTE DIAS – Membro do Conselho Fiscal

IRLAN PEREIRA DA SILVA – Membro do Conselho Fiscal

JAIRO CESAR RODRIGUES – Membro do Conselho Fiscal

SEBASTIAO FERNANDES ROBERTO – Membro do Conselho Fiscal

WERMIGTON DOS SANTOS – Membro do Conselho Fiscal

WILSON CEZAR DE OLIVEIRA MATTOS – Membro do Conselho Fiscal

FATIMA APARECIDA CARDOSO PARREIRA – Vice-Presidente

IVAN EXPEDITO CATARINA – Vice-Presidente

———————————————————————–

11/07/2013

Campo Belo - Dia 11 de julho 007Dia Nacional de Mobilização

(Juiz de Fora-MG) – O Sinserpu-JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora), filiado à FESERP-MG e à CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), está participando efetivamente do Dia Nacional de Mobilização, convocado pelas centrais sindicais. Nesta quinta-feira (11/julho), bem cedo, às 7h, diretores do Sindicato fizeram uma manifestação na porta do HPS (Hospital de Pronto-Socorrro) com o intuito de chamar a atenção das autoridades sobre o atual estado da unidade, a principal do setor em Juiz de Fora. “A situação é dramática e há um descaso muito grande. O elevador está danificado há cerca de um ano e faltam seringas. Isso traz um grande risco para os pacientes e também para os profissionais de Saúde”, exemplificou o presidente do Sinserpu-JF Amarildo Romanazzi. “Acreditamos que esse movimento é uma espécie de “luz amarela” para os gestores. A população trabalhadora não pode continuar convivendo com isso e caso a situação perdure o sindicato partirá para novas ações” alertou o sindicalista. “A Saúde vem em primeiro lugar pois atinge aquele que mais precisa de um serviço público de qualidade”, acrescentou o diretor financeiro do Sindicato Antônio Carlos Santana.

Outras questões também foram levantadas, como, por exemplos, a incorporação do adicional de penosidade para os profissionais de urgência e emergência e a criação de um Plano de Cargo, Carreira e Salário para os agentes comunitários de Saúde e auxiliares de Odontologia. Além disso, o Sinserpu/JF divulgou uma pauta extensa de reivindicações, que inclui a abertura imediata de concurso público para a Prefeitura de Juiz de Fora, o fim do processo de terceirizações, o reconhecimento das educadoras de creche como professoras e também a convocação de um plebiscito em favor da reforma política.

O diretor de Mobilização da CSB e presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira esteve presente no ato.

Agora à tarde, a partir das 14h, depois se fazer presente em manifestações similares em setores específicos da Prefeitura, a diretoria do Sinserpu/JF se junta a outras entidades sindicais e aos representantes de movimentos sociais em ato público nas escadarias da Câmara Municipal – onde, acontece, a partir das 15h, uma Audiência Pública com o objetivo de discutir a questão do transporte coletivo em Juiz de Fora.

 

25/07/2013

SINSERPU-JF comemora nomeações de servidores concursados

(Juiz de Fora-MG) – O Sinserpu/JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora), filiado a FESERP-MG, prestigiou, na tarde desta quinta-feira (25 de julho) o ato de nomeação, pela Prefeitura de Juiz de Fora, de 124 novos servidores, todos concursados – 78 desses funcionários vão atuar nas secretarias escolares e 46 são auxiliares de enfermagem. Essa é uma das bandeiras da entidade, que nas manifestações de 11 de julho (Dia Nacional de Mobilização) colocou como uma das reivindicações básicas a abertura imediata de concurso público em todos os setores da Prefeitura, a homologação de todos os processos seletivos internos e a efetivação dos concursados que laborem suas atividades através de contratos. “É uma conquista de campanha, uma luta antiga que agora vimos começar a concretizar”, disse o presidente do Sinserpu-JF, Amarildo Romanazzi da Fonseca. “Principalmente quando um dos setores beneficiados é a saúde, que é a nossa preocupação primordial”, completou, lembrando ainda que a luta do Sindicato vem desde muito tempo e envolve outras categorias de servidores, como os lotados no Demlurb, nas secretarias de Obras e Educação e os excedentes da Guarda Municipal, entre outros

Presente à cerimônia, o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira destacou a promessa cumprida pelo prefeito Bruno Siqueira (PMDB) e também o fato do sindicalismo estar presente e ser protagonista de benefícios para a categoria e a cidade como um todo. O prefeito, por sua vez, afirmou que “nomear aprovados em concurso público” melhora qualquer administração e prometeu novos concursos públicos em breve, assim que forem resolvidos os problemas legais e burocráticos do processo

O ato das nomeações aconteceu na Escola de Governo e contou com a presença de vários secretários municipais. Na ocasião, o Sinserpu/JF conseguiu também apoio político para as suas reivindicações, pois o vereador que representava oficialmente a Câmara no evento, Isauro Calais, garantiu que todas as mensagens do Executivo de interesse dos servidores públicos serão aprovadas imediatamente quando chegarem ao Palácio Barbosa Lima.

 

 

16/09/2013

AmarildoSINSERPU-JF se posiciona contra a Mensagem da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora que altera Estatuto do Servidor

(Juiz de Fora – MG) – O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) – filiado à FESERP-MG – não vai aceitar passivamente a tentativa da Prefeitura de alterar o Estatuto do Servidor. Mensagens nesse sentido já foram enviadas pelo prefeito Bruno Siqueira (PMDB) à Câmara e deve ser votada, em primeira discussão, na tarde desta segunda-feira (16 de setembro). Na avaliação do SINSERPU-JF os documentos vão abrir brechas para a contratação de trabalhadores temporários – e com isso ampliando a terceirização do serviço público. Além disso, o temor é que esteja sendo pensada, pela administração municipal, a ampliação do quadro de cargos de confiança na PJF, em detrimento dos concursados. “Estamos considerando a situação bastante estranha, pois não é possível abrir contratações temporárias se hoje o município dispõe de concursados aprovados que não são chamados e são mantidos como contratados”, disse o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi.

Na semana passada, quando da tentativa inicial da votação na Câmara, o SINSERPU-JF conseguiu, com ações políticas, mobilização e argumentos jurídicos, adiar a apreciação das Mensagens. “A proposta da Prefeitura é ilegal, pois, está em desacordo com a Constituição Federal. Além disso é imoral e por isso inadmissível”, completou Amarildo Rommanazzi.

DSCN6193

14/10/2013

Memória viva da FESERP-MG IV – “A Burocracia não parou a nossa Federação”

(Juiz de Fora – MG) – A efetiva legalização da FESERP-MG demorou longos e extenuantes 27 meses (a Federação surgiu em 10 de novembro de 2009 e teve o termo de criação publicado pelo Diário Oficial da União em 13 de fevereiro de 2012), mas, ao contrário do que possa parecer, a princípio, isso em nada atrapalhou o processo de consolidação da entidade. Pelo contrário. “Em nenhum momento a burocracia parou a nossa Federação. O trabalho continuou sendo feito normalmente, as prestações de contas sendo apresentadas periodicamente, tudo caminhando sem nenhum atropelo de qualquer natureza. Prova disso é o número, hoje, dos sindicatos filiados, mais de 40. Se esperássemos a questão burocrática não teríamos todos esses parceiros”. Atesta Amarildo Romanazzi, um dos fundadores da FESERP-MG e atual presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (Sinserpu/JF). “Não houve nenhum vácuo e essa característica jurídica, que poderia desanimar outras pessoas, foi ignorada, graças ao trabalho duro de pessoas como o Cosme Nogueira, que muitas vezes deixou sua família, sua cidade e sem esmorecer foi visitando sindicatos de Minas e pregando nossas idéias, sempre em prol do funcionalismo público”, completa o sindicalista.

Amarildo Romanazzi faz questão de destacar também o acerto em desvincular da outra federação: “Foi ficando muito claro a falta de seriedade e comprometimento deles. A gente só servia para fazer número”, diz. Hoje, com essa nova realidade o clima é de muito otimismo. “Com essa descentralização proposta, a regionalização em curso, essa turma nova que chega a cada dia a tendência é deslanchar. A FESERP-MG em pouco tempo será muito maior do que já é”, prevê o presidente do Sinserpu-JF.

Site e Face

31/10/2013

FESERP-MG E SINSERPU-JF participam do anúncio de atos administrativos em prol do servidor público

(Juiz de Fora – MG) A FESERP-MG, através do presidente Cosme Nogueira, e vários dirigentes do SINSERPU-JF participaram na tarde desta quarta-feira (30 de outubro) do anúncio, pela Prefeitura de Juiz de Fora, de atos administrativos que vão beneficiar o servidor municipal. Os representantes das entidades gostaram das medidas, mas querem mais. “É um avanço e é bom que a Prefeitura esteja dando esse passo, mas ainda temos outras pendências, outras conquistas a buscar como, principalmente, melhores condições de trabalho e salários”, afirmou Cosme Nogueira. “São reivindicações antigas e não há grandes novidades. Estamos satisfeitos com o pouco que veio, mas queremos mais diálogo, uma discussão prévia sobre o que será feito”, completou Amarildo Romanazzi, presidente do SINSERPU-JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora).     Entre as medidas anunciadas estão a abertura de inscrição para o curso de treinamento específico, para as categorias de assistente de administração, técnico de nível médio, agente de atendimento ao público, guarda municipal, oficial de mecânica leve e pesada e fiscal de posturas municipais, e a publicação em novembro do edital para inscrição no processo de seleção competitiva interna para a classe de auxiliar de enfermagem, com agendamento da primeira prova para dezembro. Além disso, haverá a partir do mês que vem a disponibilização do contracheque online para os servidores, no site oficial da Prefeitura.

Santana 2

07/12/2013

Memória viva da FESERP-MG VIII – “Foi um ato de coragem”

(Juiz de Fora – MG) – Para o diretor-financeiro do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (Sinserpu/JF) Antônio Carlos de Sant’Ana a criação da FESERP-MG foi “um ato de coragem, feito no peito e sem recursos”. Segundo ele, aquele grupo que se reuniu em São Lourenço, denominado de Pro-Federação, sabia exatamente o que queria e o que iria enfrentar. “Montamos o nosso grupo para incrementar o nosso projeto e sabíamos que havia uma outra turma que queria atrapalhar, perpetuar os desmandos. E, de certa forma, não foi surpresa o aparecimento deles por aqui, para tentar tumultuar o processo, Porém, tínhamos e temos disposição para a briga e principalmente para o trabalho e imediatamente conseguimos novos aliados”, relembra ele. “Era o que tínhamos a fazer. Estava tudo absolutamente legal e ninguém conseguiria nos impedir, prova disso é a consolidação rápida desse trabalho em pouco tempo”, completa. Hoje, Antônio Carlos de Sant’Ana guarda os bons momentos, como os encontros periódicos (a Plenária Estadual, realizada em Guaxupé, e o Congresso, em Juiz de Fora, como exemplos) e vislumbra um futuro ainda melhor. “As dificuldades ficaram para trás, temos uma boa proposta de trabalho, estamos conseguindo cumpri-la e, mesmo sem citar metas, temos certeza que vamos nos fortalecer mais ainda, principalmente nas cidades menores que, sem recursos, precisam muito da Federação”, diz.

07/05/2014

Negociação Juiz de Fora

Sindicato de Juiz de Fora inicia negociação com a Prefeitura

(Juiz de Fora – MG) – Começaram nesta terça-feira (06/maio) as negociações da Campanha Salarial 2014, entre o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) e a Prefeitura. A pauta de reivindicações tem 32 tópicos (veja relação abaixo), além de itens específicos referentes aos assistentes administrativos,  aos servidores da Funalfa e os da GETTRAN. Os principais são: um reajuste salarial que englobe reposição da inflação, maio de 2013 a abril de 2014, 10% de reposição de perdas e mais 5% de ganho real, reformulação do Plano de Cargos e Salários, abertura imediata de concursos públicos para as funções que estão com carência e homologação de todos os processos seletivos internos; redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e o fim do processo de terceirização na Prefeitura Municipal de Juiz de Fora. O presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, informou que foi apenas um primeiro contato com os representantes do Poder Executivo e chamou a atenção para a importância de uma gratificação do pessoal da coleta do DEMLURB (Departamento de Limpeza Urbana), presente na pauta. Uma nova rodada de negociação está marcada para terça-feira (13/maio), às 8h30.

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES – DATA-BASE MAIO/2014

1- Garantia da data-base: 30 de Abril de 2014 a Maio/2015;

2- Reposição da inflação do período de 1º de Maio de 2013 a 30 de Abril de 2014, Sendo acrescido de 10% de reposição de perdas, e mais 5% de ganho real.

3- Devido ao achatamento da tabela salarial e a desvalorização dos salários dos servidores, comprovada através de comparativo com a Iniciativa Privada – reivindicamos a composição de um grupo de trabalhadores que vise à imediata reformulação do atual plano de cargos, carreiras e vencimentos e a criação de uma nova tabela salarial, possibilitando, com isto o reenquadramento e a criação de novas carreiras;

4- Garantia de isonomia salarial para todos os servidores da administração direta, indireta, fundações, autarquias, empresas públicas e associações civis da PJF; reajuste linear dos salários no período de 2014 a 2015;

5- Extensão do benefício do ticket alimentação para todos os servidores da ativa, pensionistas e aposentados (isonomia de benefício), reajustando seu valor para R$300,00 (trezentos reais) com o fim da cláusula que estabelece a assiduidade;

6- Que seja enviada uma proposta de lei para a Câmara Municipal, alterando o artigo 5ª da Lei 10513/2003, garantindo assim a manutenção do Plano de Saúde dos Servidores com a definição do aporte financeiro das mantenedoras, evitando assim a evasão dos profissionais do plano. Reduzindo o desconto para o salário base, de forma de aumentar o número de servidores no plano.

7- Prioridade em constituir um Projeto de Assistência Social para todos os servidores, incluindo alimentação nos locais de trabalho e para os trabalhadores que laboram em campo, locais adequados para alimentação e necessidades fisiológicas. Criação de Convênios com escolas e faculdades para incentivar a qualificação de todos os servidores e seus dependentes;

8- Reajuste no valor das diárias de viagem para os servidores que fazem jus, motoristas e outros, dos quadros da administração direta e indireta, sem prejuízo do pagamento das horas extras laboradas, com rotatividade dos motoristas na realização das viagens;

9- Que a PJF apresente áreas disponíveis para Doação para que o Sinserpu/JF possa realizar a construção de uma Sede Campestre própria adequada ao lazer, esporte e projetos culturais para os servidores e seus dependentes;

10- Abertura imediata de concurso público para as funções que estão com carência, homologação de todos os processos seletivos internos.

11- Seguindo a luta universal da classe trabalhadora reivindicamos a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais para todos os servidores municipais e regulamentação das Leis 12.317/2010 e Lei  8.856/1994, que estabelece jornada de trabalho de 30 horas semanais para Assistente Social e Fisioterapeutas.

12- Fornecimento de EPI e uniformes para todos os servidores municipais, bem como o fortalecimento da segurança nas Unidades Básicas de Saúde e Unidades de atendimento de Urgência e Emergência (PAI, Regional Leste e Hospital de Pronto Socorro), PAM – Marechal, de forma a assegurar a integridade física e psicológica dos servidores que ali trabalham. (Presença do efetivo da Guarda Municipal com garantia de equipamento adequado para exercício de suas funções, aumento de efetivo, etc.).

13- Fim do processo de terceirização na PJF e imediata reversão na terceirização das Creches, Empav, UPAS e DEMLURB bem como os equipamentos alugados.

14- Criação de uma comissão paritária, com poder deliberativo, eleita pelos trabalhadores para discutir, solucionar e fiscalizar problemas de assédio moral, violência nos locais de trabalho etc.

15 – Alterar art. 70 da lei 8.710 para que seja contemplada a Lei 12.740/2012 que trata de periculosidade para os vigias, cujas atividades laborais comprovem exposição vulnerável em seus postos de trabalho. Exemplo: (Funalfa).

16 – Criação de uma Comissão envolvendo SARH, Sinserpu e Associação da Guarda Municipal para reformulação do Regimento Interno e estruturação para melhores condições de trabalho da Guarda.

17- Revogação da Lei 12.103/10 e enquadramento da Guarda Municipal na Lei 11.553/08 que estabelece adicional por exercício de atividade de risco permanente.

18- Conclusão e Homologação de todos os processos seletivos que se encontram em curso e a imediata abertura de novos processos em todas as carreiras que estejam contempladas por lei; elaboração de projeto de lei criando progressão para as demais carreiras que ainda não foram contempladas.

19- Elaborar um projeto de lei para garantir o direito dos servidores municipais que necessitem realizar fisioterapia e outros procedimentos, no horário de trabalho, sem prejuízo nos vencimentos. Adequação da casa do servidor.

20- Enviar projeto de lei para Câmara com o objetivo de criar um fundo financeiro para custear o tratamento do servidor (a) com dependência química;

21- Alterar decreto que regulamenta cota das horas extras de 30 para 50 na laboração das atividades que se faz necessário.

22 – Estudo para implantação de Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Saúde idêntico ao Estado e Governo Federal.

23- Discutir com a Administração em caráter de urgência solução no que se refere ao pagamento do adicional de incentivo (14º) para os Agentes Comunitários de Saúde, verba esta destinada pelo Governo Federal, evitando as diversas ações judiciais.

24- Execução da proposta do projeto de lei enviado à Administração para implantação do Plano de Cargo, Carreira e Salário dos Agentes Comunitários de Saúde.

25- Que administração envie um projeto de lei para a Câmara com objetivo de criar um adicional de gratificação para todos trabalhadores que laboram suas atividades, ininterruptamente, independente das condições climáticas devido à natureza do serviço.

26- Que o prefeito reajuste os convênios entre o Município e a Amac para que haja reequilíbrio financeiro de forma que a mesma possa reajustar seus funcionários acompanhando o mesmo valor praticado pela Administração.

27- Criação do cargo de motorista de gabinete – ( motoristas que dirigem para o secretariado). Tendo em vista que este servidor não possui horário específico, feriado e final de semana além de muitas vezes ter que fazer viagens em caráter de urgência.

28- Adequação do Cargo de Auxiliar Técnico I para Auxiliar Técnico II e reenquadramento do Cargo de Auxiliar de biblioteca. (Funalfa).

29 – Criação de uma Comissão com a participação do Sinserpu-JF, Trabalhadores do Setor de Urgência e Emergência, Secretária de Saúde e Administração com objetivo de criar o Quadro da Urgência e Emergência.

30 – Estruturação de todo o Corpo Clínico do DSAT, em caráter de urgência, uma vez que, ao longo das Administrações vem sendo abandonado, não sendo diferente com a atual Administração.

31 – Antecipação da Data-Base para 01 de Janeiro.

32 – Que a Prefeitura viabilize o Projeto da Cooperativa de Consumo elaborado pelo Sinserpu/JF, já enviado à Administração.

26/05/2014

Sindicato de Juiz de Fora marca Assembleia para dia 03 de junho

(Juiz de Fora – MG) – Não houve avanços na segunda rodada de negociação entre SINSERPU-JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora) e a Prefeitura realizada no último dia 20 de maio. A Administração do prefeito Bruno Siqueira (PMDB) mencionou a possibilidade do índice correspondente ao IPCA parcelado em duas vezes, como forma de reajuste à categoria. A contraproposta foi imediatamente rejeitada pelos diretores do sindicato presentes à reunião. Uma Assembleia foi marcada para o dia 03 de Junho, às 18h, na Sociedade de Medicina e Cirurgia (Rua Braz Bernardino 59, Centro), quando a categoria decidirá os rumos da negociação. O presidente do SINSERP-JF Amarildo Romanazzi afirmou que o Sindicato abrirá mão de negociar índices dignos, que recomponham as perdas do servidor. Nova reunião será agendada para avaliar a possibilidade de avanços na questão salarial. Foram definidos, ainda, outros encontros para avaliar assuntos relacionados a pontos específicos da pauta. Haverá encontros entre representantes da Prefeitura, AMAC sindicato e associações (Associação dos Agentes de Trânsito, Associação da Guarda Municipal, Associação de Programadores da PJF -setor de informática-, dentre outras).

Um ponto positivo foi o reconhecimento por parte da PJF em manter a recomposição da tabela salarial seguindo o modelo exercido na campanha passada, contemplando os trabalhadores do nível 04 ao 08.  Comissões como a dos auxiliares de enfermagem, que exigem por parte da administração o comprometimento na conclusão de seu processo seletivo interno, e, do quadro de urgência e emergência, cujo encontro foi reivindicado pela categoria por meio de abaixo assinado protocolado no sindicato e na PJF, também serão agendadas.

Manifestação Sinserpu

19/06/2014

Servidores municipais de Juiz de Fora realizam nova paralisação

(Fonte: Jornal Tribuna de Minas, Juiz de Fora, edição de quinta-feira, 19 de junho)

Foto: Tribuna de Minas

Mesmo com o fim da greve dos profissionais do magistério municipal, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) pode não estar livre de enfrentar um novo movimento grevista. Os trabalhadores representados pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu) suspenderam ontem suas atividades em diversos departamentos do Município. Segundo o sindicato, a adesão chegou a 40%, mas a Administração garante que o percentual chegou a apenas 4%. Pela manhã, cerca de 300 servidores de diversas categorias, de acordo com estimativa da Polícia Militar, se reuniram em assembleia em frente à escadaria da Câmara Municipal e decidiram por uma nova paralisação, marcada para a próxima terça-feira.

Neste mesmo dia, a categoria realiza uma nova assembleia para discutir a contraproposta do Executivo, que deve ser apresentada amanhã. Dependendo da proposta, o Sinserpu não descarta a possibilidade de greve. Na última semana, os servidores rejeitaram, em assembleia na Sociedade de Medicina, o aumento de 6,5% nos vencimentos e o reajuste de 13,3% no vale alimentação. Eles pleiteiam a correção inflacionária, mais 5% de ganho real e 10% de aumento referente a perdas salariais dos últimos anos, além do aumento de 100% no vale alimentação.

Com palavras de ordem e pedindo desculpas pelo transtorno, os servidores seguiram em passeata pela Rua Halfeld até a Praça da Estação, pedindo por melhorias nas condições de trabalho e de salário. Após 40 minutos de protesto, o movimento foi dispersado. Para o presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi da Fonseca, o ato foi positivo, pois mostrou que, mesmo pressionados, os trabalhadores não se sentiram intimidados e foram em busca dos seus direitos. “O trabalhador quer respeito. Pedimos desculpas para a população pelo transtorno causado, mas, é importante mostrar que estamos insatisfeitos e, quem sofre diretamente com isso, é a população”.

Fonte: Site do SINSERPU-JF

Assembleia JF

25/06/2014

Servidores de Juiz de Fora terão reajuste de 6,5% e recomposição de triênio

(Juiz de Fora – MG) – A maioria dos servidores municipais presentes à assembléia da categoria aprovou a contraproposta apresentada pela PJF. Na última rodada de negociação, realizada no dia 23 de junho, a Administração ofereceu um reajuste de 6,5% retroativos a maio a todos os funcionários. Como novidade, propôs a correção gradativa dos vencimentos para as classes entre os níveis 4 e 8 (ver quadro anexo). A recomposição será dada a partir de novembro e beneficiará 42 categorias da PJF. O objetivo é a recomposição dos triênios que deixaram de ser pagos com a criação da lei 12039/10, imposta por Custódio Mattos. A norma suspendeu o artigo 27 da Lei nº 92112/98.

16,67% no ticket

A PJF ofereceu ainda um reajuste de 16,67% ao ticket alimentação, que passa a valer R$ 175 a partir de 10 de agosto. Na última negociação, a Administração ampliou a possibilidade de pagamento integral para os servidores que apresentarem atestado médico de até três dias. A parcela fixa do ticket passa a R$ 80 e será fornecida ao servidor que apresentar atestado acima de três dias. Mas os trabalhadores faltosos que não levarem o abono médico perderão todo o benefício no mês das faltas.

Concurso público

Um dos problemas mais graves para a direção do SINSERPU-JF é a ausência de concursos públicos nas últimas administrações. A situação que poderia comprometer o Fundo de Previdência dos Servidores será controlada com o compromisso da PJF de abrir concursos públicos para os cargos que forem necessários.

Agentes em negociação

Com relação aos agentes comunitários de saúde, a PJF garante a realização de estudos para o pagamento dos incentivos em setembro deste ano. A comissão criada para estudar o projeto do SINSERPU-JF de Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos agentes de saúde e de combate a endemias iniciará os trabalhos e terá encontros com representantes da Administração. A primeira reunião entre as partes está agendada para o dia 8 de julho. Na ocasião, será discutida a lei 12.994 do Governo Federal que institui o piso salarial das duas classes.  A aprovação da contraproposta da PJF pelos servidores será comunicada oficialmente pelo sindicato. A entidade solicitará sua votação pelos vereadores em seção extraordinária da Câmara Municipal, que está de recesso.

AMAC alcança conquistas

Também na última negociação, a direção da AMAC garantiu a concessão dos mesmos reajustes de salário e ticket alimentação para os seus funcionários. A categoria terá então 6,5% de reajuste salarial e 16,67% no vale alimentação, que passará a R$ 140, em agosto. Com o objetivo de corrigir distorções, haverá reajustes diferenciados para os auxiliares de serviços de creche que terão reajuste de 12%. Educadores e cozinheiros de creches, por sua vez, terão 10% de aumento, visando à recuperação gradativa do triênio congelado. O presidente do sindicato, Amarildo Romanazzi informou que serão realizadas reuniões entre a direção e a AMAC, com objetivo de corrigir outras distorções salariais ali existentes.

Fonte: Sinserpu-JF (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora)

Foto: Jornal Tribuna de Minas

22/07/2014

SAMSUNG CAMERA PICTURESJuiz de Fora no Seminário de Representação Sindical dos Servidores Públicos

(São Paulo – SP) – O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) e diretor-adjunto de Finanças da FESERP-MG Amarildo Romanazzi da Fonseca foi um dos delegados da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) no Seminário “Representação Sindical dos Servidores Públicos”, em São Paulo (SP), nesta terça-feira (22 de julho)

01/08/2014

Participação de Juiz de Fora na fundação da FESERP-MG é exaltada durante entrega do sexto veículo

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – “Todos os outros cinco veículos já entregues pela FESERP-MG – na região Norte, no Triângulo, no Centro-Oeste, no Sul e no Vale do Mucuri – nos deram alegrias e a sensação do dever cumprido e este, da Zona da Mata, tem um ingrediente a mais, que é o da gratidão, pois nós nunca esqueceremos do papel preponderante e fundamental de Juiz de Fora na fundação da nossa Federação”. Dessa forma, reconhecendo o pioneirismo da cidade no processo, o presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira entregou, na manhã desta sexta-feira (primeiro de agosto), o sexto carro adquirido para servir de apoio aos sindicatos filiados. O veículo, um Fiat Palio Fire, zero km, equipado com aparelho de som, ficará em Juiz de Fora, mas poderá ser usado também por outros municípios da região. Cosme Nogueira, que foi presidente do SINSERPU-JF por três mandatos, fez questão de elogiar a atual diretoria da entidade, “grandes e leais parceiros”, e destacar o apoio recebido da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros).

A entrega do veículo aconteceu na sede do SINSERPU-JF, e o anfitrião, Amarildo Romanazzi, depois de lembrar um pouco da história e saudar o êxito da FESERP-MG, indicou qual será o destino do carro: “O objetivo único é atender a categoria. Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora e da região e seus representantes terão agora melhores condições, terão mais um instrumento de luta”, disse o presidente do Sindicato juiz-forano. Para o vice-presidente regional Zona da Mata, Wilson Cezar de Oliveira Mattos, o sexto veículo adquirido e entregue pela FESERP-MG, em uma sexta região diferente, é uma “prova inequívoca do acerto da diretriz da regionalização dos trabalhos”.

Vários dirigentes do SINSERPU-JF participaram do evento, que contou ainda com as presenças do subsecretário de Operação Urbana da Secretária de Obras da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, José Walter Ávila, e o diretor administrativo da AMETA (Associação dos Médicos, Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem da Urgência e Emergência de Juiz de Fora) Carlos Wesley Martins Pinto.

Veja no site da FESERP-MG, a Galeria de Fotos da entrega do sexto veículo

31/10/2014

SAMSUNG CAMERA PICTURESJuiz de Fora comemora Dia do Servidor com festa, prestação de serviços e cobranças à Prefeitura

(Juiz de Fora – MG) – O Sindicato dos Servidores Públicos de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) comemorou durante toda a manhã desta sexta-feira (31 de outubro) o Dia do Servidor, com um grande encontro, na Praça Antônio Carlos, centro da cidade. Teve festa e diversão (com exibição carnavalesca, de mestres-sala e porta-bandeiras, palhaços e brincadeiras), Cultura (com apresentação de Coral do Grupo Recordando em Serenata e Capoeira, com os praticantes do Curumim Olavo Costa), serviços sociais (como corte de cabelo), ações preventivas (como aferição de pressão arterial e teste de glicemia) e distribuição de guloseimas (picolé, algodão doce e pipoca). E teve também cobranças à Prefeitura de Juiz de Fora. A insatisfação do Sindicato e dos servidores com a administração municipal estava presente em faixas e na palavra do presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi. Nas faixas, dispostas na Praça, pedidos de reestruturação do Plano de Saúde em caráter de urgência (para evitar a evasão de profissionais), de aquisição de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual para todos os setores (evitando que os servidores gastem do próprio bolso na compra de uniformes e equipamentos de segurança), de incentivo para a categoria dos agentes de Saúde e do piso salarial para os agentes comunitários. Já em seu discurso, Amarildo Romanazzi cobrou do prefeito Bruno Siqueira (PMDB) a valorização dos servidores. “Era uma promessa de campanha dele, mas nada aconteceu até agora”, resumiu o sindicalista, que ressaltou que o funcionalismo está “empobrecido e sem perspectivas”. Ele também lamentou o que na sua visão seria o “esquecimento dos serviços básicos” que teriam que ser prestados à população. “Estamos hoje, nesse dia de festa, oferecendo ações preventivas de Saúde porque a população não está conseguindo ter esse atendimento nos postos de saúde da cidade”, disse.

O presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira esteve presente e ressaltou a força e a garra dos colegas de Juiz de Fora. “É um sindicato protagonista na vida da cidade. A diversidade do evento e a boa presença dos servidores provam isso”, afirmou.

 

 

1/12/2014

SAMSUNG CAMERA PICTURESSindicato de Juiz de Fora comemora conquista para auxiliares de enfermagem

(Juiz de Fora – MG) – Apesar de críticas á morosidade do processo seletivo, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) comemorou, na tarde desta segunda-feira (01 de dezembro), a assinatura, pela Prefeitura de Juiz de Fora, do resultado final de seleção interna para o cargo de auxiliar de enfermagem, São 117 profissionais beneficiados, que terão progressão de carreira e, já a partir do contracheque de janeiro, um acréscimo de 70% no salário. “Apesar da demora, temos que comemorar e parabenizar o esforço da categoria. Os auxiliares de enfermagem merecem, pois mesmo com todas as dificuldades estruturais da Prefeitura eles continuam prestando relevantes serviços à comunidade”, afirmou o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi, que aguarda agora que os demais processos seletivos em curso, conquistas do Sindicato, “sejam mais ágeis”. A cerimônia de assinatura do documento, no prédio da Prefeitura, contou com a presença de outros diretores do SINSERPU-JF e do presidente da FESERP-MG (Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais de Minas Gerais) Cosme Nogueira. Em seu discurso, o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) – disse que o momento “era de festa”, com a contratação de 85 profissionais e a promoção de 117 servidores, parabenizou o esforço individual dos funcionários e garantiu que “só obras físicas não adiantam se não houver, na administração municipal, investimentos no servidor público”.

Também estavam presentes na solenidade, entre outros, os secretários municipais de Saúde, José Laerte, e Administração, Andréia Goreske, o vereador Isauro Calais/PMN (representando a Câmara Municipal) e o secretário-executivo do Conselho Municipal de Saúde Jorge Ramos

Na foto, entre os auxiliares de enfermagem, Cosme Nogueira e Amarildo Romanazzi

02/02/2015

Sindicato de Juiz de Fora promove grande festa para o servidor

(Juiz de Fora – MG) – O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) promoveu, no sábado (31 de janeiro), uma grande festa para o servidor da cidade. Durante todo o dia, em uma área coberta com uma super tenda, no Parque de Exposições da cidade, diversas atrações se revezaram no palco montado no local – com destaque para o Grupo de Dança do SINSERPU-JF. Aos adultos, música, brindes e boa comida e as crianças, por sua vez, tiveram uma atenção especial e puderam escolher, num amplo leque de opções, as brincadeiras e as guloisemas.  “A diretoria do Sindicato está de parabéns com promoções dessa natureza. Foi um momento especial, de confraternização e integração. É como costuma dizer o presidente do Sindicato Amarildo Romanazzi: quem trabalha tem direito ao lazer”, afirmou o presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira, que passou boa parte da tarde de sábado na festa

09/02/2015

Sindicato de Juiz de Fora bota o bloco na rua nesta terça-feira

Bloco dos servidores 3(Juiz de Fora – MG) – O bloco carnavalesco dos servidores da Prefeitura de Juiz de Fora (comandado pelo diretor da FESERP-MG Regis de Oliveira e apoiado pelo SINSERPU-JF) sai nesta terça-feira (10 de fevereiro), com concentração a partir das 19h, no Parque Halfeld (Centro da cidade). O lema da folia é “Onde tem servidor, tem samba, trabalho, cultura”. O evento faz parte do calendário oficial do Carnaval de Juiz de Fora.

11/02/2015

FESERP-MG marca presença no Bloco dos Servidores de Juiz de Fora

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – O bloco carnavalesco dos servidores públicos municipais de Juiz de Fora, organizado pelo SINSERPU-JF, desfilou na noite de ontem (terça-feira, 10 de fevereiro) por ruas da cidade. O samba, “Esse Cara Sou Eu”, de autoria do funcionário da EMPAV Lupércio Gonzaga, enfocou, segundo o próprio autor, o “homem comum, batalhador, que vive longe dos desvios éticos de alguns políticos e empresários”. A letra: “Esse cara sou eu/levanto de madrugada/dou um beijo na amada/abençoo a criançada/vou trabalhar!/Na marmita o jabá/agradeço em oração/o sol é meu abrigo/sou servidor da população!/Depois do trabalho/o bar, vou/tomar uma gelada/desligo meu celular/meu amor/fora de área!”.

Na foto, o presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira, a porta-bandeira Beth Junqueira (funcionária da Casa do Servidor) e o mestre-sala Aluísio Beija-Flor (da Secretaria de Obras)

04/03/2015

Deu na Mídia LVII – Sindicato de Juiz de Fora critica excesso de comissionados na Prefeitura da cidade

(Fonte: Jornal Tribuna de Minas – Juiz de Fora, Minas Gerais)

O corte de gastos anunciado pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), instituído pelo Decreto 12.259 – em vigência desde o dia 13 – foi motivo de duras críticas feitas pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (Sinserpu-JF). A entidade chegou a divulgar nota de repúdio sobre a decisão tomada pelo Executivo, tendo por base a “imposição de medidas” e a “ausência de diálogo do poder público com as entidades representativas dos servidores”. O sindicato ainda acusou a PJF de “tentar jogar nas costas do servidor municipal o ônus da completa falta de zelo com a coisa pública”. Uma das razões seria o excesso de cargos comissionados, principalmente na Empresa Municipal de Pavimentação e Urbanização (Empav).

O presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi (foto), explicou à Tribuna que os servidores de carreira não são os culpados pelo déficit público, mas sim o excesso de cargos comissionados. Segundo ele, o caso mais grave acontece na Empav por extrapolar os 35 postos permitidos pelo plano de cargos de carreira. “Temos mais de cem pessoas contratadas pela Empav em cargos comissionados, e parte delas está lotada em outros departamentos da Prefeitura. Isto ocorre pois não há realização de concursos públicos, fato que muito nos preocupa, pois coloca em risco o fundo de previdência próprio dos servidores de carreira da PJF”, destacou.

Amarildo pontuou que, diante do aperto financeiro vivido por muitas prefeituras – inclusive menores que a de Juiz de Fora – investir para a realização do carnaval, mesmo que de forma antecipada, foi uma falta de responsabilidade. “Isto demonstra a falta de controle com as finanças. Não há fiscalização dos gastos, principalmente com veículos. No passado, a Prefeitura mantinha um posto de combustível para abastecer a frota, que em sua maioria, era própria. Isso não existe mais, e as contas deixam de ser transparentes”, afirmou, acrescentando que não é de hoje que o sindicato tenta expor os excessos cometidos pela Administração.

Outro lado - A Prefeitura, por meio de sua assessoria de comunicação, lamentou a postura do Sinserpu, dizendo que a mesma não condiz com a verdade, confundindo, assim, o servidor municipal e a população. Em nota, a PJF afirmou que prima pela total transparência de seus atos, garantindo a implantação integral da Lei de Acesso à Informação e, da mesma forma, “sempre atuou em relação aos servidores, estando aberta ao diálogo e a melhorias nas condições de trabalho.”

Quanto à Empav, o Executivo ressaltou que vem atuando no enxugamento de cargos da empresa, inclusive com a extinção de posições, como aconteceu, recentemente, com a vice-presidência. A PJF ainda destacou que, por meio do decreto, quer garantir que a aplicação dos recursos seja mais consciente e moderna, observando todos os pontos, a fim de garantir que não houvesse prejuízos à população ou ao servidor

17/03/2015

Deu na Mídia LVIII – Sindicato de Juiz de Fora denuncia estrutura precária em posto de saúde

uaps-jardim-esperança-sinserpu

Fonte: Jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora – MG), edição de 13/03/2015

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) denunciou, em sua página no Facebook, as condições precárias da Unidade de Atenção Primária à Saúde (UAPS) do Bairro Jardim Esperança, na região Sudeste. Conforme o sindicato, as rachaduras e trincas evidenciam que a estrutura pode desabar a qualquer momento. “Como é possível constatar pelas fotos, a situação é de total perigo, uma vez que as rachaduras em toda a extensão da UAPS se alargam a cada dia. Segundo os servidores, o risco já foi alertado até pela Defesa Civil”, diz a postagem.
Por meio da assessoria da Secretaria de Saúde, a Prefeitura informou que deve iniciar a reforma na UAPS do Jardim Esperança ainda no primeiro semestre deste ano. A Prefeitura de Juiz de Fora esclareceu ainda que, durante as intervenções, a unidade continuará em funcionamento no mesmo local, sem comprometer o atendimento à população. Segundo o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, os moradores temiam que a UAPS pudesse mudar para o Bairro Floresta durante as obras.

24/03/2015

Deu na Mídia LIX – Sindicato de Juiz de Fora reivindica IPCA mais reajuste de 5%

Campanha JFFonte: Jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora – MG, Edição de terça-feira, 24 de março)

As negociações salariais das categorias do funcionalismo municipal representadas pelo Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Juiz de Fora (Sinserpu) terão seu primeiro capítulo hoje, quando o sindicato irá protocolar sua pauta de reivindicações junto à Prefeitura. O documento deve ser formado por 24 itens. Segundo os pleitos definidos pela categoria em assembleia realizada na última sexta-feira, os servidores iniciam as conversas solicitando recomposições salariais dos últimos 12 meses, com base no IPCA, e ganho real de 5%, como forma de reposição de perdas anteriores. De acordo com o presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi, a partir da oficialização da pauta, os servidores irão aguardar que o Município agende uma reunião para que, de fato, tenha início o diálogo entre as partes.

Os servidores também reivindicam a implementação de um grupo de trabalho para discutir a reformulação do atual plano de cargos, carreiras e vencimentos da categoria, além da criação de uma nova tabela salarial. Como justificativa para o pleito, o funcionalismo aponta desvalorização entre os vencimentos pagos pelo Município em comparação ao observado nos valores praticados pela iniciativa privada. O Sinserpu defenderá ainda isonomia na concessão do tíquete-alimentação, com o o benefício reajustado para R$ 300 para todos os servidores e a extinção da regra que relaciona a cessão do benefício à assiduidade.

AMAC – O Sinserpu ainda deliberou sobre a pauta de reivindicações dos funcionários da AMAC, que também querem reajuste com base no IPCA, mais ganho real de 5%. O documento aborda os questionamentos enfrentados pela entidade no âmbito jurídico desde 2009. Entre eles, um que considera a entidade como de direito público e condiciona a contratação de pessoal à realização de concursos. A decisão ameaça o emprego de mais de mil funcionários.

9/05/2015

Sindicato de Juiz de Fora ouve contraproposta da Prefeitura na quinta-feira

(Juiz de Fora – MG) – O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) senta à mesa de negociação com a Prefeitura na próxima quinta-feira (21 de maio). A reunião, que começa às 16h, servirá para que os representantes da categoria conheçam a contraproposta da administração à pauta de reivindicações, entregue no início do mês – o documento tem 29 itens (veja abaixo), entre eles o que pede a reposição da inflação do período de 1º de Maio de 2014 a 30 de Abril de 2015, tendo como referência o IPCA, acrescido de 5% de recomposição de perdas. Segundo o presidente do presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi (foto), essa segunda etapa da campanha salarial tem um único propósito: avançar nas conquistas. .

PAUTA DE REINVIDICAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DA PJF

DATA BASE 1º MAIO de 2015

1- Garantia da Data-Base: 1º de Maio 2015;

2- Reposição da inflação do período de 1º de Maio de 2014 a 30 de Abril de 2015, tendo como referência o IPCA, acrescido de 5% de recomposição de perdas;

3- Devido ao achatamento da tabela salarial e a desvalorização dos Salários dos Servidores, comprovada através de comparativo com a Iniciativa Privada reivindicamos a composição de um grupo de trabalhadores que vise imediata reformulação do atual Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos e a criação de uma nova Tabela Salarial, possibilitando com isto, o reenquadramento e a criação de novas carreiras;

4- Elaboração de um Projeto de Lei que vise a criação do Plano de Cargo e Carreira especificamente para Urgência e Emergência;

5- Isonomia no Benefício do Ticket Alimentação (Cartão Vale Mais) para todos os Servidores, reajustando seu valor para R$ 300,00 e o fim da cláusula que estabelece a assiduidade;

6- Que a Administração se comprometa em repassar para o Plano de Saúde Servidor valor necessário para o equilíbrio financeiro de forma a não perder os excelentes Profissionais e Clínicas que prestam serviço, mas que no momento estão se evadindo por falta de pagamento e também solicitamos a reformulação da forma de desconto dos servidores, incidindo sobre o Salário Base e não sobre o bruto;

7- Que a EMPAV financie o plano de Saúde Servidor para seus funcionários por se tratar de empresa pública com autonomia administrativa e incentivos fiscais. A exemplo da CESAMA.

8 – Execução do Projeto elaborado pelo SINSERPU/JF e já protocolado junto a Administração referente à Cooperativa de Consumo para a Categoria;

9 – Reiteramos a solicitação de abertura Imediata de Concurso Público para as funções que estão com carência. Homologação de todos os Processos Seletivos Internos e Efetivação dos Concursados que Laborem suas atividades através de Contrato;

10 – Criação de Progressão Vertical para todas as Categorias ainda não contempladas no atual Plano de Cargo e Carreira e Vencimento do Município. Exemplo: Auxiliar de Serviço, Auxiliar Operacional ( FUNALFA), Auxiliar de biblioteca, Auxiliares de Odontologia, Agentes de Combate as Endemias, etc.

11- Seguindo a Luta Universal da Classe Trabalhadora reivindicamos a redução da Jornada de Trabalho para 40 horas semanais para todos os Servidores e o cumprimento da Lei nº 12.317/2010 e Lei nº 8.856/1994, que estabelece Jornada de Trabalho de 30 horas semanais para Assistentes Sociais e Fisioterapeutas; Filiado à Sindicato dos Trabalhadores, Funcionários e Servidores Municipais da Administração Direta, Indireta, Fundações, Autarquias, Empresas Públicas e Associações Civis da Prefeitura do Município de Juiz de Fora, Empregados da Associação Municipal de     Apoio Comunitário e Organizações Sociais que se vinculem ao Município por Contrato de Gestão

12 – Agendamento de reuniões periódicas do Conselho Fiscal do Fundo de Previdência Municipal constituído por representantes das Entidades Sindicais Representativas e Executivo e Legislativo;

13 – Cumprir a Lei Federal nº 12740/12 que estabelece o Adicional de Periculosidade para todos os Vigias, cujas Atividades Laborais comprovem Exposição Vulnerável em seus Postos de Trabalho;

14 – Extensão da Licença Maternidade e Paternidade aos Funcionários Celetistas conforme já concedido aos Estatutários;

15 – Execução imediata do Projeto de Plano de Cargos e Emprego dos Agentes Comunitários de saúde elaborado pelo SINSERPU/JF e já apreciado pela Administração;

16 – Cumprimento da Lei Federal nº 12.994/14 referente ao Piso dos Agentes Comunitários de saúde e Agentes de Combate as Endemias;

17- Retorno da emissão do Contra Cheque pela PJF através das entidades Bancárias;

18 – Doação de uma área para a construção de uma Sede Campestre Própria adequada ao Lazer, Esporte e Projetos Culturais para a Categoria;

19 – Estruturação de todo Corpo Clínico do DSAT, em caráter de urgência, uma vez que, ao longo das Administrações vem sendo abandonado e não havendo diferença com a atual  Administração;

20 – Que o Prefeito reajuste os convênios entre o Município e a AMAC para que hajareequilíbrio financeiro de forma que a mesma possa reajustar seus Funcionários acompanhando o mesmo índice praticado pela Administração, incluído o mesmo reajuste do Ticket Alimentação e garantindo o aporte para o Plano de Saúde Servidor;

21- Apresentação em caráter de urgência da proposta discutida entre o grupo de trabalho envolvendo SINSERPU/JF, AMAC, AFA, Câmara e Administração. Transformando-a em minuta que ficou sobre a responsabilidade do Procurador Geral do Município, mas que até o momento não foi apresentada ao Ministério Público;

22 – Que a Administração junto com a direção do DEMLURB crie um Adicional para Varrição e Capina, de forma a valorizar esses profissionais como já praticados com o Setor de Coleta;

23 – Que a Administração crie um Adicional de Incentivo para os trabalhadores que Laboram suas atividades no Setor de Águas Pluviais que é uma atividade incomum e sacrificante, além de conviver com insetos peçonhentos e inalarem gases tóxicos nas galerias subterrâneas;

24 – Após criação do selo da diversidade pela atual Administração, solicitamos que o Município dê exemplo interno, pois o Sindicato tem recebido denúncias de assédio moral,

discriminação a deficientes, racial e de gênero nos locais de trabalho;

25 – Férias por 30 dias úteis com possibilidade de fracionar em dois períodos de 15 dias;

26 – Criar adicional para os Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros da Atenção Secundária que estão expostos em ambiente insalubre, realizando trabalho considerado especializado além de exercerem atividades administrativas inerentes as suas atribuições. Na Atenção Primária é concedido a gratificação mensal de 34%, na Urgência e Emergência recebem adicional de penosidade e na Zona Rural recebem 50%.

27- Criar adicional de risco para os Agentes de Combate as Endemias.

28 – Garantia da Data-Base: 1º de janeiro 2016;

29 – Formar comissões para cobrança do cumprimento da pauta durante o ano todo.

22/05/2015

Sindicato de Juiz de Fora define como “frustrante” a rodada de negociações com a prefeitura

negociação(Juiz de Fora – MG) – “Frustrante”. Essa foi a definição da Diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) para a rodada de negociações, campanha salarial/2015, com a Prefeitura, ocorrida ontem (quinta-feira, 21 de maio). “Nada aconteceu de relevante por parte do prefeito e seus auxiliares. Esperamos que na próxima reunião, no dia 28, haja avanços – foi essa, afinal, a promessa da Administração Municipal”, resumiu o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi. Independente desse encontro da próxima quinta-feira os sindicalistas já marcaram uma Assembleia de análise, pela categoria, da contraproposta da Prefeitura para o dia 03 de junho, às 18h,

A pauta de reivindicações dos servidores de Juiz de Fora tem 29 itens (veja abaixo a íntegra do documento – entre eles o que pede a reposição da inflação do período de 1º de Maio de 2014 a 30 de Abril de 2015, tendo como referência o IPCA, acrescido de 5% de recomposição de perdas.

 

PAUTA DE REINVIDICAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DA PJF

DATA BASE 1º MAIO de 2015

1- Garantia da Data-Base: 1º de Maio 2015;

2- Reposição da inflação do período de 1º de Maio de 2014 a 30 de Abril de 2015, tendo como referência o IPCA, acrescido de 5% de recomposição de perdas;

3- Devido ao achatamento da tabela salarial e a desvalorização dos Salários dos Servidores, comprovada através de comparativo com a Iniciativa Privada reivindicamos a composição de um grupo de trabalhadores que vise imediata reformulação do atual Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos e a criação de uma nova Tabela Salarial, possibilitando com isto, o reenquadramento e a criação de novas carreiras;

4- Elaboração de um Projeto de Lei que vise a criação do Plano de Cargo e Carreira especificamente para Urgência e Emergência;

5- Isonomia no Benefício do Ticket Alimentação (Cartão Vale Mais) para todos os Servidores, reajustando seu valor para R$ 300,00 e o fim da cláusula que estabelece a assiduidade;

6- Que a Administração se comprometa em repassar para o Plano de Saúde Servidor valor necessário para o equilíbrio financeiro de forma a não perder os excelentes Profissionais e Clínicas que prestam serviço, mas que no momento estão se evadindo por falta de pagamento e também solicitamos a reformulação da forma de desconto dos servidores, incidindo sobre o Salário Base e não sobre o bruto;

7- Que a EMPAV financie o plano de Saúde Servidor para seus funcionários por se tratar de empresa pública com autonomia administrativa e incentivos fiscais. A exemplo da CESAMA.

8 – Execução do Projeto elaborado pelo SINSERPU/JF e já protocolado junto a Administração referente à Cooperativa de Consumo para a Categoria;

9 – Reiteramos a solicitação de abertura Imediata de Concurso Público para as funções que estão com carência. Homologação de todos os Processos Seletivos Internos e Efetivação dos Concursados que Laborem suas atividades através de Contrato;

10 – Criação de Progressão Vertical para todas as Categorias ainda não contempladas no atual Plano de Cargo e Carreira e Vencimento do Município. Exemplo: Auxiliar de Serviço, Auxiliar Operacional ( FUNALFA), Auxiliar de biblioteca, Auxiliares de Odontologia, Agentes de Combate as Endemias, etc.

11- Seguindo a Luta Universal da Classe Trabalhadora reivindicamos a redução da Jornada de Trabalho para 40 horas semanais para todos os Servidores e o cumprimento da Lei nº 12.317/2010 e Lei nº 8.856/1994, que estabelece Jornada de Trabalho de 30 horas semanais para Assistentes Sociais e Fisioterapeutas; Filiado à Sindicato dos Trabalhadores, Funcionários e Servidores Municipais da Administração Direta, Indireta, Fundações, Autarquias, Empresas Públicas e Associações Civis da Prefeitura do Município de Juiz de Fora, Empregados da Associação Municipal de     Apoio Comunitário e Organizações Sociais que se vinculem ao Município por Contrato de Gestão

12 – Agendamento de reuniões periódicas do Conselho Fiscal do Fundo de Previdência Municipal constituído por representantes das Entidades Sindicais Representativas e Executivo e Legislativo;

13 – Cumprir a Lei Federal nº 12740/12 que estabelece o Adicional de Periculosidade para todos os Vigias, cujas Atividades Laborais comprovem Exposição Vulnerável em seus Postos de Trabalho;

14 – Extensão da Licença Maternidade e Paternidade aos Funcionários Celetistas conforme já concedido aos Estatutários;

15 – Execução imediata do Projeto de Plano de Cargos e Emprego dos Agentes Comunitários de saúde elaborado pelo SINSERPU/JF e já apreciado pela Administração;

16 – Cumprimento da Lei Federal nº 12.994/14 referente ao Piso dos Agentes Comunitários de saúde e Agentes de Combate as Endemias;

17- Retorno da emissão do Contra Cheque pela PJF através das entidades Bancárias;

18 – Doação de uma área para a construção de uma Sede Campestre Própria adequada ao Lazer, Esporte e Projetos Culturais para a Categoria;

19 – Estruturação de todo Corpo Clínico do DSAT, em caráter de urgência, uma vez que, ao longo das Administrações vem sendo abandonado e não havendo diferença com a atual  Administração;

20 – Que o Prefeito reajuste os convênios entre o Município e a AMAC para que hajareequilíbrio financeiro de forma que a mesma possa reajustar seus Funcionários acompanhando o mesmo índice praticado pela Administração, incluído o mesmo reajuste do Ticket Alimentação e garantindo o aporte para o Plano de Saúde Servidor;

21- Apresentação em caráter de urgência da proposta discutida entre o grupo de trabalho envolvendo SINSERPU/JF, AMAC, AFA, Câmara e Administração. Transformando-a em minuta que ficou sobre a responsabilidade do Procurador Geral do Município, mas que até o momento não foi apresentada ao Ministério Público;

22 – Que a Administração junto com a direção do DEMLURB crie um Adicional para Varrição e Capina, de forma a valorizar esses profissionais como já praticados com o Setor de Coleta;

23 – Que a Administração crie um Adicional de Incentivo para os trabalhadores que Laboram suas atividades no Setor de Águas Pluviais que é uma atividade incomum e sacrificante, além de conviver com insetos peçonhentos e inalarem gases tóxicos nas galerias subterrâneas;

24 – Após criação do selo da diversidade pela atual Administração, solicitamos que o Município dê exemplo interno, pois o Sindicato tem recebido denúncias de assédio moral,

discriminação a deficientes, racial e de gênero nos locais de trabalho;

25 – Férias por 30 dias úteis com possibilidade de fracionar em dois períodos de 15 dias;

26 – Criar adicional para os Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros da Atenção Secundária que estão expostos em ambiente insalubre, realizando trabalho considerado especializado além de exercerem atividades administrativas inerentes as suas atribuições. Na Atenção Primária é concedido a gratificação mensal de 34%, na Urgência e Emergência recebem adicional de penosidade e na Zona Rural recebem 50%.

27- Criar adicional de risco para os Agentes de Combate as Endemias.

28 – Garantia da Data-Base: 1º de janeiro 2016;

29 – Formar comissões para cobrança do cumprimento da pauta durante o ano todo.

29/05/2015

Mesmo com participação do prefeito, negociações não avançam em Juiz de Fora

JF 29 de maio(Fonte: site do SINSERPU-JF)

Quase cinco horas de conversas e nenhuma definição sobre reajuste salarial e outras demandas econômicas que integram os pontos de pauta da campanha salarial dos servidores municipais. O encontro ocorrido na manhã desta terça-feira, dia 28, começou com uma surpresa: a presença do prefeito Bruno Siqueira (PMDB).

Sem chegar a um denominador comum sobre índices e outras questões, uma quarta rodada de negociações foi marcada para a próxima terça-feira, dia 2, às 8h. Nesse mesmo dia, às 18h, na Câmara Municipal, os servidores se reúnem em assembleia para avaliarem as contrapropostas da PJF.

Portal da Transparência

O discurso do prefeito não alterou as expectativas da direção do sindicato. O prefeito culpou a situação econômica do país pela queda na arrecadação do município e, consequentemente,  a dificuldade em reajustar os salários dos servidores.

A direção do sindicato, no entanto, questionou que conforme o site Portal da Transparência da PJF as receitas de agosto de 2014 a fevereiro de 2015 aumentaram.  O prefeito argumentou que esse aumento foi insuficiente e abaixo do previsto. Ele não apresentou índices de reajuste para a categoria, garantindo, no entanto, que os comissionados não terão aumento.

Comissionados e terceirizados

O sindicato voltou a apontar as terceirizações e o grande número de comissionados como os responsáveis pelo inchaço da máquina pública. Bruno alegou que uma demanda judicial suspendeu a realização de concursos públicos na PJF e por esse motivo precisa suprir a defasagem do quadro com contratados e terceirizados.

Aproveitando a presença do prefeito, o sindicato pediu fiscalização da PJF com relação às irregularidades na Empav e quanto à frequente prática de assédio moral  em órgãos como o Demlurb.

Após o prefeito deixar a reunião, os representantes da PJF informaram que estudos estão sendo feitos para impedir que os servidores sejam afetados pela crise econômica. Outros itens da pauta foram também discutidos com possibilidades de avanços, como as questões relacionadas  à Equipamento de Proteção Individual (EPI), uniformes, condições de trabalho, Plano de Cargos e Plano de Saúde. Sobre o índice de reajuste de salários, no entanto, o impasse foi mantido.

Piso Nacional dos agentes de saúde e endemias foi discutido com comissão

O encontro  PJF nesta terça, serviu ainda para discutir o piso salarial dos  Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias. A avaliação do ponto da pauta contou com a participação dos vereadores Betão , Pardal e Júlio Gasparette, que compõem a comissão criada para discutir a questão com o Executivo ao lado do sindicato.

A Administração informou que compete à União o repasse  de 95% dos recursos destinados ao pagamento do piso. De acordo com os representantes da PJF, o Ministério da Saúde encaminhou os recursos para os Agentes Comunitários e que serão pagos, devendo ser acordado em mesa de negociação.

Pagamento e cadastro

O pagamento para os agentes de saúde está garantido, no entanto, segundo a PJF, observando as limitações do Tesouro, em virtude da diferença d repasse que não é integral, além de 1/3 de férias e encargos.   Quanto aos Agentes de Combate a Endemias, os representantes da PJF disseram que o Ministério da Saúde exige um cadastro dos profissionais e para isso é preciso um registro da categoria no QUINES. O sindicato cobrou agilidade do cadastro e questionou a retroatividade do pagamento do piso. A Administração informou que essa questão está em estudo.

03/06/2015

Servidores de Juiz de Fora recusam proposta da prefeitura e marcam indicativo de greve

JF 3 de junho(Juiz de Fora – MG) – Reunidos em Assembleia, na noite de ontem (terça-feira, 2 de junho) os servidores públicos municipais de Juiz de Fora recusaram a proposta da Prefeitura (abono salarial de 3%) e aprovaram, também por unanimidade, um indicativo de greve. Foi decidido ainda que na próxima terça-feira (9 de junho) as atividades, em sinal de alerta à administração municipal, só serão iniciadas uma hora depois do previsto. E no dia 11, uma nova assembléia trata da possibilidade de uma greve, por tempo indeterminado. “È descarada (essa proposta da Prefeitura). O Sindicato estuda ajuizar uma ação para obrigar o Executivo a cumprir a Lei que obriga uma recomposição salarial com base no IPCA – algo em torno de 8%. Senão, vamos para a luta”, resumiu o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), Amarildo Romanazzi.

 

09/06/2015

Protesto de servidores ganha adesão em massa em Juiz de Fora

paralisacao JF junhoFonte: site do SINSERPU-JF

(Juiz de Fora – MG) – A mobilização dos servidores na manhã desta terça-feira (9 de junho) conquistou a adesão da maioria dos trabalhadores.  Secretaria de Obras, Demlurb (coleta e capina) Empav e Central de Veículos tiveram cem por cento de suas atividades paralisadas entre 7h e 8h30. A participação do movimento foi expressiva, ainda, em outros setores da PJF como Unidades Básicas de Saúde (UBSs), além das creches da AMAC, apesar da pressão das chefias.

De acordo com os diretores que estiveram nos portões dos setores de maior concentração da PJF, nem foi preciso realizar “piquetes”. Os servidores aderiram espontaneamente ao movimento, tamanho o grau de descontentamento.

Atendendo à decisão da assembleia do último dia 2, a categoria realiza, também hoje,  uma “operação tartaruga”, com a diminuição do ritmo dos trabalhos. O objetivo é protestar contra a proposta de 3% de abono como reajuste salarial da administração municipal.  Os servidores reivindicam a reposição da inflação do período pelo IPCA e 5% de recomposição das perdas dos anos anteriores.

Em estado de indicativo de greve, os servidores rejeitaram, ainda, as propostas do governo com relação aos demais itens da pauta de reivindicações.  O SINSERPU-JF volta a se reunir com os representantes da PJF nesta terça, às 16h. O resultado do encontro será apresentado aos trabalhadores na assembleia quinta, dia 11 de junho, na Sociedade de Medicina e Cirurgia (Rua Braz Bernardino, 59).

12/06/2015

Servidores de Juiz de Fora fazem nova paralisação na terça-feira

paralisacao JF junhoFonte: Jornal Tribuna de Minas

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores municipais de Juiz de Fora rejeitaram ontem (quinta-feira, 11 de junho), em assembleia na Sociedade de Medicina e Cirurgia, a proposta salarial apresentada pela Prefeitura e aprovaram nova paralisação de protesto na próxima terça-feira, dia 16. O Executivo ofereceu reajuste de 6,5% a partir de janeiro de 2016, incluindo ainda a recomposição inflacionária de maio a dezembro de 2015. Dessa forma, a Administração eliminou a proposta de abono de 3%, anteriormente anunciada para este ano e desconsiderou qualquer reajuste em 2015.

O Município sinalizou que poderá aceitar o adiantamento da data-base da próxima negociação para janeiro de 2016, condicionado ao aceite da proposta. Quanto ao valor do tíquete-alimentação, foi mantido o aumento de R$ 175 para R$ 190. A PJF se disponibilizou a realizar estudo para contemplar com o benefício os servidores que recebem até R$ 2.500, considerando o salário base e horas extras. Hoje o tíquete é pago apenas aos trabalhadores com remuneração de até R$ 1.329.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu), Amarildo Romanazzi, a paralisação da próxima terça-feira será feita com atraso do início do expediente em duas horas. “Estamos nos mobilizando nos setores de maior concentração de trabalhadores, como o Demlurb, Empav e Secretaria de Obras”, disse. A iniciativa do sindicato ocorre no mesmo dia da nova rodada de negociação com o Executivo, prevista para as 16h. Na sexta-feira, dia 19, ocorre uma nova assembleia da categoria, às 18h, na escadaria da Câmara Municipal.

A secretária de Administração e Recursos Humanos Andréia Madeira Goreske, afirmou que a Prefeitura está aberta ao diálogo e não está medindo esforços para resolver a situação da melhor maneira. “Tiramos o abono para que pudéssemos melhorar o reajuste, que antes era de 5,5% para 6,5%, mais o índice inflacionário. O prefeito já mostrou a dificuldade financeira que o Município está passando. Então, este ano, já deixamos registrada a dificuldade de dar o reajuste. Por isso, anteciparíamos a data base para janeiro, que é paga em maio. Estaríamos antecipando em quatro meses, o que seria positivo para o servidor.”

Foto: Tribuna de Minas

16/06/2015

Paralisação dos servidores de Juiz de Fora afeta principais setores da Prefeitura

JF 16 de junho(Juiz de Fora – MG) – Os servidores aderiram em peso à paralisação das atividades nas primeiras horas desta terça-feira (16 de junho). Praticamente 100% dos trabalhadores de Demlurb, Empav e creches da AMAC cruzaram os braços por duas horas. Já na Secretaria de Obras (SO), a suspensão dos trabalhos aconteceu durante toda a manhã.

Outros setores também tiveram participação expressiva na paralisação, como as Unidades Básicas de Saúde e a Central de Veículos. De acordo com o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, as atividades foram vitoriosas e demonstram o grau de insatisfação dos servidores com a administração, que se nega a conceder reajuste este ano.

A direção do sindicato volta às negociações com a prefeitura na tarde desta terça-feira. A assembléia da categoria será na próxima sexta-feira (19 de junho), nas escadarias da Câmara Municipal. Ali, os servidores avaliam o resultado do último encontro com o Executivo. Se não houver avanços, os servidores que já definiram indicativo de greve podem radicalizar o movimento.

VEJA IMAGENS DA PARALISAÇÃO DIA 16/06/2015
ACESSE: https://youtu.be/LxHfMO9NWjY

 

26/06/2015

Sindicato de Juiz de Fora luta pelo direito à aposentadoria de servidores

reuniao PJF(Juiz de Fora – MG) – A situação é bastante absurda e angustiante: 66 trabalhadores do DEMLURB (Departamento de Limpeza Urbana de Juiz de Fora) trabalharam por anos a fio e agora, na hora da merecida aposentadoria, descobrem que não podem e que deixarão o serviço público sem nenhum garantia para o futuro. Para reverter essa situação, o Sindicato de Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) não está medindo esforços. Há muito tempo o presidente da entidade, Amarildo Romanazzi vem fazendo gestões nesse sentido, na busca de uma solução satisfatória. E nesta sexta-feira (26 de junho), a advogada do SINSERPU-JF, Elisângela Márcia do Nascimento, se reuniu com representantes da administração municipal (a secretária de Administração e Recursos Humanos Andréia Goreske e o diretor administrativo do DEMLURB Marcel Fernandes Lima) para tratar do assunto, ao lado de uma comissão formada por cinco desses 66 trabalhadores prejudicados. “Já fizemos, há tempos, um requerimento administrativo e estamos buscando um diálogo. E mais que isso, temos uma proposta: que os valores das contribuições desses servidores ao Fundo de Previdência específico da Administração seja transferidos para o INSS e assim elas possam aposentar”, disse a Elisângela Nascimento. Essa proposta será apresentada oficialmente na próxima reunião, agendada para terça-feira (30 de junho), às 16h. Quem participou da reunião de hoje e também estará na próxima semana, a convite da advogada do SINSERPU-JF, foi o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira. “Além de ser servidor público, do DEMLURB, de conhecer a situação e de presidir uma Federação considero essa situação muito injusta, que precisa ser resolvida para o bem dos trabalhadores e de suas famílias”, afirmou Cosme Nogueira.

1/07/2015

Nova reunião, em Juiz de Fora, discute situação dos servidores impedidos de se aposentar

reunião 30 de junho

(Juiz de Fora – MG) – A questão previdenciária de 66 servidores do DEMLURB (Departamento de Limpeza Urbana de Juiz de Fora) foi novamente debatida e questionada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), com o apoio da FESERP-MG. A reunião aconteceu nesta terça-feira (30 de junho), no gabinete da Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SARH) da Prefeitura de Juiz de Fora, Andréia Andréia Goreske. Além dela, participaram o Procurador-geral do município Leonardo Guedes de Carvalho, o subsecretário de Pessoas da SARH, Alexei Von Randow Xavier,  o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi, a procuradora jurídica do Sindicato, Elisângela Márcia do Nascimento e o presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira, além de uma comissão formada por cinco dos servidores prejudicados. Amarildo Romanazzi fez críticas pela demora e morosidade que a administração municipal vem demonstrando com esta situação, e Cosme Nogueira ressaltou na mesa a gravidade do fato e solicitou dos representantes da Prefeitura um empenho e um esforço para que tudo seja resolvido, pois os trabalhadores estão sob um grau de vulnerabilidade assustador. A advogada Elisângela Nascimento, por sua vez, apresentou a proposta de migração dos servidores, que hoje estão no regime próprio de previdência para o regime geral do INSS. Segundo ela, é a única saída com segurança para os trabalhadores. O procurador do município afirmou que realmente a migração pode ser uma saída, mas pediu tempo para um aprofundamento e estudo da proposta. De acordo com a secretária Andréia Goreske, há uma orientação do prefeito Bruno Siqueira para priorizar esta demanda. Porém disse que dependerá de uma interface com outros órgãos. O DEMLURB ficará responsável por realizar um levantamento sobre a situação de cada servidor e entregar este relatório o mais rápido possível – compromisso assumido pelo diretor administrativo do órgão, Marcel Fernandes Lima, também presente na reunião. O representante da Comissão dos Trabalhadores, Geraldo Carminate se incumbiu de acompanhar o levantamento e o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi fez questão de salientar a sua preocupação e mais uma vez cobrou agilidade do Executivo. O presidente da FESERP-MG argumentou que estará atento e vai acompanhar os trâmites e também cobrar da administração a prioridade que o fato exige.

01/07/2015

Nova reunião, em Juiz de Fora, discute situação dos servidores impedidos de se aposentar

reunião 30 de junho

(Juiz de Fora – MG) – A questão previdenciária de 66 servidores do DEMLURB (Departamento de Limpeza Urbana de Juiz de Fora) foi novamente debatida e questionada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), com o apoio da FESERP-MG. A reunião aconteceu nesta terça-feira (30 de junho), no gabinete da Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SARH) da Prefeitura de Juiz de Fora, Andréia Andréia Goreske. Além dela, participaram o Procurador-geral do município Leonardo Guedes de Carvalho, o subsecretário de Pessoas da SARH, Alexei Von Randow Xavier,  o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi, a procuradora jurídica do Sindicato, Elisângela Márcia do Nascimento e o presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira, além de uma comissão formada por cinco dos servidores prejudicados. Amarildo Romanazzi fez críticas pela demora e morosidade que a administração municipal vem demonstrando com esta situação, e Cosme Nogueira ressaltou na mesa a gravidade do fato e solicitou dos representantes da Prefeitura um empenho e um esforço para que tudo seja resolvido, pois os trabalhadores estão sob um grau de vulnerabilidade assustador. A advogada Elisângela Nascimento, por sua vez, apresentou a proposta de migração dos servidores, que hoje estão no regime próprio de previdência para o regime geral do INSS. Segundo ela, é a única saída com segurança para os trabalhadores. O procurador do município afirmou que realmente a migração pode ser uma saída, mas pediu tempo para um aprofundamento e estudo da proposta. De acordo com a secretária Andréia Goreske, há uma orientação do prefeito Bruno Siqueira para priorizar esta demanda. Porém disse que dependerá de uma interface com outros órgãos. O DEMLURB ficará responsável por realizar um levantamento sobre a situação de cada servidor e entregar este relatório o mais rápido possível – compromisso assumido pelo diretor administrativo do órgão, Marcel Fernandes Lima, também presente na reunião. O representante da Comissão dos Trabalhadores, Geraldo Carminate se incumbiu de acompanhar o levantamento e o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi fez questão de salientar a sua preocupação e mais uma vez cobrou agilidade do Executivo. O presidente da FESERP-MG argumentou que estará atento e vai acompanhar os trâmites e também cobrar da administração a prioridade que o fato exige.

09/07/2015

Deu na Mídia – Sindicato de Juiz de Fora denuncia sucateamento dos caminhões da Prefeitura

Juiz de fora 9 julho

Fonte: Jornal Tribuna de Minas, Juiz de Fora, edição de 09 de julho de 2015-07-09

Os caminhões da Empresa Municipal de Pavimentação e Urbanização (Empav) estão parados por falta de combustíveis. A informação foi repassada à reportagem pelo presidente do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Juiz de Fora (Sinserpu), Amarildo Romanazzi, que visitou a sede da Empav na manhã de ontem. “Vários trabalhadores chegam para trabalhar, batem o ponto e são dispensados, pois os veículos estão sem condições de funcionamento. Falta combustível, além do sucateamento e más condições dos veículos”, afirmou o sindicalista.

Em nota, a Empav admitiu a situação. “Os caminhões pararam hoje por falta de diesel.” Segundo o diretor administrativo-financeiro da empresa, Teodoro Mendonça, “houve um atraso no carregamento do diesel pela distribuidora, e a previsão é de que a situação seja totalmente regularizada nos próximos dias”. Por outro lado, a empresa negou que o motivo para a inatividade dos veículos fosse o sucateamento da frota, como denuncia o Sinserpu.

Para fomentar a reclamação, o sindicato registrou fotos dos caminhões parados. Em uma das imagens, um dos veículos apresenta o pneu dianteiro esquerdo desgastado. “Não procede a informação de que os caminhões estão parados por falta de manutenção”, afirma a Empav.

FGTS – Outra irregularidade apontada pelo Sinserpu é o atraso no pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por parte da empresa pública. “O FGTS dos funcionários está sendo descontado na folha, mas não está sendo repassado para a Caixa Econômica Federal. O atraso já chega a cinco meses. Os servidores convivem com o constrangimento de receber carta e comunicados sobre os débitos”, reclamou Amarildo. Mais uma vez, a Empav reconheceu o problema e sinalizou que a situação já está sendo equacionada. “A Empav informa que já está regularizando a situação junto à Caixa Econômica e esclarece que trata-se de uma obrigação exclusiva da empresa, sem qualquer desconto para o trabalhador.”

A despeito das sinalizações do órgão, que afirma que a falta de combustíveis é um problema pontual e que a situação do FGTS dos servidores já está sendo regularizada, o presidente do Sinserpu pretende recorrer à Câmara para solicitar a realização de uma audiência pública para tratar de temas de interesse dos funcionários que prestam serviço à Empav.

Foto: Tribuna de Minas

15/08/2015

Deu na Mídia – Sindicato de Juiz de Fora vai ao Ministério Público contra EMPAV/Prefeitura

acidenteFonte: Jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora, MG – Edição de sábado, 15 de agosto)

Um dia antes do acidente de trabalho que resultou na morte de um funcionário da Empav, após um caminhão do órgão supostamente ter apresentado falha mecânica, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu) apresentou uma série de denúncias relatando possíveis irregularidades na empresa pública. Em representação protocolada na Promotoria do Patrimônio Público do Ministério Público (MP) de Minas Gerais, a entidade apontou o sucateamento da frota veicular e de outros patrimônios da Empav, como a fábrica de manilhas e a usina de asfalto. “Era uma tragédia anunciada”, lamenta Amarildo Romanazzi. A direção do órgão considera o acidente uma fatalidade, e a perícia do veículo ainda não foi concluída.

Além das denúncias de sucateamento da frota veicular, a representação do Sinserpu junto ao MP aponta uma série de problemas na Empav. Os questionamentos vão desde a contratação de empresas sem licitação – o que poderia beneficiar grupos ligados a uma pessoa que ocupa cargo diretivo na Empav – até suspeitas de nepotismo. Outros supostos problemas apontados pelo documento dizem respeito à terceirização de atividades-fim, com a contratação de mão de obra para a realização de serviços que poderiam ser executados por servidores de carreira; ao fato de cerca de 90 profissionais estarem ociosos; e ao não recolhimento do INSS, apesar de o tributo estar sendo descontado no contracheque dos funcionários. A representação encaminhada ao MP pede a abertura de procedimentos administrativos e judiciais de investigação e possível responsabilização de diretores de Empav. Em nota encaminhada pela assessoria, a direção da Empav informou que não recebeu qualquer comunicação oficial sobre a representação protocolada pelo Sinserpu no Ministério Público, mas garantiu que irá adotar todas as providências para uma apuração rápida e rigorosa das denúncias citadas pela Tribuna. O sindicato vai convocar uma manifestação com paralisação na Empav, na próxima segunda-feira. Também vai protocolar as mesmas denúncias encaminhadas ao MP junto à PJF e à Câmara Municipal.

Más condições já tinham sido denunciadas

Não foi a primeira vez que o Sinserpu apontou o sucateamento da frota. A reclamação já havia sido noticiada em várias reportagens da Tribuna. Em uma delas, após visita de Amarildo Romanazzi à sede do órgão, o sindicato apontou que vários veículos estavam sem funcionar por falta de combustível e más condições de uso. “Viemos denunciando o sucateamento da frota da Prefeitura, não só da Empav, tanto é que esse caminhão estava indo para a garagem trocar pastilha de freio. Mas não podemos afirmar que a causa do acidente é a falta de manutenção, porque ainda vai passar por perícia”, ponderou o sindicalista.

Diretor-técnico da Empav, René Vieira Filho confirmou que o Mercedes-Benz 710, que teria sido fabricado em 2002, segundo ele, estava com manutenção agendada para a próxima semana. “Havia revisão programada, solicitada pelo próprio motorista. Verificamos, em uma primeira inspeção aqui no local, que o cilindro mestre do freio estourou.” Para o diretor-presidente da empresa, José Eduardo Araújo, que também esteve presente ao local do acidente de ontem, a possível falha mecânica teria sido um incidente e, não, causada por falta de manutenção. “Foi uma fatalidade. Pode acontecer até com carro de passeio. Como estourou o burrinho mestre, o motorista perdeu o freio. Sorte o caminhão não ter entrado em uma casa.”

Motorista de caminhão relata falha em freio

O acidente que vitimou o funcionário da Empav aconteceu no final da manhã de ontem, após o caminhão em que ele estava, com outros seis funcionários, apresentar possível falha mecânica, sair da pista e tombar. O acidente aconteceu na Rua Nossa Senhora de Lourdes, no bairro homônimo, região Sudeste. Iran da Silva, 42 anos, seguia em um caminhão Mercedes-Benz da empresa de pavimentação, que conduzia a equipe de capina para o ponto base na Praça Doutor Antônio Carlos, após trabalho no Retiro. Segundo a Polícia Militar, o motorista relatou que ia no sentido Bairro Santo Antônio/Centro, e, ao descer o trecho íngreme, o freio do veículo não respondeu. Para evitar uma tragédia, ele jogou o caminhão em terreno baldio às margens da pista, na altura da Rua Doutor Dilermando Cruz.

No entanto, o Mercedes tombou para o lado em que a vítima estava sentada, no compartimento fechado atrás da cabine. O servidor não resistiu aos ferimentos e morreu na hora. O óbito foi confirmado pelo Samu. Outros três funcionários – com idades de 52, 62 e 41 – foram socorridos e encaminhados para o Hospital de Pronto Socorro (HPS), aparentemente sem ferimentos graves. De acordo com a assessoria da Secretaria de Saúde, todos se encontram na observação masculina, já passaram por avaliação da cirurgia geral e aguardavam a avaliação da neurocirurgia. O homem de 52 anos apresentava escoriações na face e o do 41 uma contusão no ombro. Já o de 62, não possuía lesões aparentes. O motorista do veículo, 53, e outros dois ocupantes da cabine, de 58 e 60 anos, não sofreram lesões.

O corpo da vítima ficou embaixo do caminhão, sendo necessário o desencarceramento por uma equipe do Corpo de Bombeiros. Segundo o sargento da corporação que esteve à frente da ocorrência, Carlos Alberto de Campos, quando a equipe chegou ao local, as outras vítimas também estavam caídas, e o servidor que morreu estava preso às ferragens. Peritos da Polícia Civil realizaram os levantamentos iniciais, e o caminhão seria removido para ser periciado a fim de identificar as causas do acidente.

A via precisou ser parcialmente interditada, e muitos curiosos se aglomeraram no entorno. Familiares de Iran também estiveram presentes e ficaram muito abalados. Um parente contou que ele trabalhava na Empav há mais de dez anos, morava no Bairro Nova Era, Zona Norte, e deixou uma filha, com cerca de 20 anos. Iran iria completar 43 anos no próximo dia 19.

A via precisou ser parcialmente interditada, e muitos curiosos se aglomeraram no entorno. Familiares de Iran também estiveram presentes e ficaram muito abalados. Ele iria completar 43 anos no próximo dia 19. Morava no Bairro Nova Era, Zona Norte, e deixou uma filha, com cerca de 20 anos. A Empav decretou luto e afirma estar prestando toda a assistência à família. Iran era auxiliar de serviços e trabalhava na empresa há 14 anos. O enterro será realizado no Cemitério Municipal, neste sábado, às 9h30.

7/08/2015

Sindicato de Juiz de Fora pára EMPAV/Prefeitura e exige exoneração da diretoria

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – Na manhã desta segunda-feira (17 de agosto), um ato do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), apoiado pela FESERP-MG e a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), paralisou as atividades na EMPAV, a empresa de Pavimentação da Prefeitura de Juiz de Fora, e exigiu a exoneração do diretor-presidente José Eduardo Araújo e do diretor administrativo-financeiro da empresa, Teodoro Pires de Mendonça. A manifestação, em forma de Assembleia, foi motivada pelas péssimas condições de trabalho na EMPAV, denunciadas pelo SINSERPU-JF ao Ministério Público na última quinta-feira (13 de agosto) – situação agravada pela morte de um servidor, Iran da Silva, em acidente com um veículo da empresa, no dia seguinte. Os funcionários só voltam ao trabalho depois que todos os carros forem vistoriados e liberados para o serviço. Porém, uma nova paralisação pode acontecer a partir da próxima segunda-feira (24 de agosto), caso José Eduardo Araújo e Teodoro Mendonça sejam mantidos em seus cargos. “O prefeito (Bruno Siqueira, PMDB) tem até sexta-feira (21 de agosto) para demiti-los. Caso contrário, cruzaremos os braços”, avisou o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, que acrescentou: “E os substitutos precisam iniciar imediatamente um diálogo com o sindicato”.

O ato começou bem cedo, por volta das 7h, com uma homenagem ao colega morto. “A morte dele pode ter sido uma fatalidade, a perícia é quem vai definir, mas não há dúvida alguma que os veículos e os equipamentos da EMPAV estão sucateados e que há pressões para se trabalhe nessas condições. Agora, isso vai mudar. Trabalhador só sai no carro se ele não oferecer nenhum tipo de risco”, disse Amarildo Romanazzi. Para Cosme Nogueira, o temor é que a EMPAV seja destruída pela má administração atual. “Choramos a morte do companheiro e não queremos chorar a morte da EMPAV. Fatalidades como o acidente de sexta-feira podem ser evitadas, com mais investimentos. Dinheiro para pagar empreiteiras tem, lugar para apadrinhados políticos tem, então basta mudar o foco, direcionar para o bem-estar do trabalhador”, disse o presidente da FESERP-MG, que fez coro quanto à demissão dos dois diretores, pedida pelo Sindicato: “Já era para eles terem saído. Há meses o SINSERPU-JF vem denunciando o que está acontecendo na EMPAV”.

Depois do ato no pátio, os dois diretores em questão receberam os sindicalistas para uma reunião. Na oportunidade, eles, ao lado do diretor-técnico Renê Pinto Vieira Filho, alegaram falta de recursos e admitiram que as revisões nos veículos só eram feitas, periodicamente, mediante demanda. Após pressão do Sindicato, foi determinado que dois funcionários da EMPAV, da área de segurança no trabalho, iniciariam uma revisão detalhada e documentada de cada um dos veículos disponíveis. Dirigentes do SINSERPU-JF saíram do pátio da empresa diretamente para a Prefeitura e a Câmara Municipal, para protocolar a entrega do mesmo relatório de denúncias levado ao Ministério Público. Ao prefeito Bruno Siqueira será enviado um ofício contendo as três reivindicações, aprovadas por unanimidade na Assembleia-manifestação desta segunda-feira: vistoria nos carros, demissão dos dois diretores e imediato diálogo com os substitutos.

18/08/2015

Deu na Mídia – Protesto dos servidores da EMPAV em Juiz de Fora

SAMSUNG CAMERA PICTURESVeja a reportagem veiculada no MG TV – 1ª Edição (TV Integração, afiliada da Rede Globo), em 17 de agosto.

http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/mgtv-1edicao/videos/t/edicoes/v/servidores-da-empav-protestam-apos-morte-em-acidente-em-juiz-de-fora/4399794/

18/08/2015

Deu na Mídia II – Sindicato de Juiz de Fora quer CPI e saída do presidente da EMPAV

SAMSUNG CAMERA PICTURES Fonte: Jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora, Edição de 18 de agosto de 2015)

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu) promete protocolar hoje junto à Prefeitura um documento em que pede o afastamento do ex-prefeito José Eduardo Araújo do comando da Empav. O pedido acontece cinco dias depois de o sindicato ter recorrido ao Ministério Público (MP) de Minas Gerais para denunciar o que classificam como uma série de irregularidades na empresa pública, entre elas, o sucateamento da frota. Apesar de evitar relacionar o acidente automotivo que vitimou um funcionário da Empav, após os freios de um caminhão do órgão supostamente terem apresentado falha mecânica, o presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi, entende que os veículos expõem a segurança dos profissionais. A saída do diretor administrativo-financeiro, Teodoro Pires de Mendonça, também é pleiteada.

O documento que deve ser entregue ao Executivo hoje, pede o afastamento do José Eduardo e Teodoro e coloca uma data-limite para as mudanças, o que, segundo os representantes da categoria têm que acontecer até sexta-feira. “O prefeito (Bruno Siqueira, PMDB) já tem conhecimento deste pedido que vamos oficializar hoje. Vamos esperar até sexta-feira e, caso nada ocorra, vamos paralisar as atividades por tempo indeterminado até que a Prefeitura justifique a manutenção da atual diretoria”, afirma Amarildo.

A Tribuna procurou a direção da Empav, por meio de sua assessoria de imprensa, mas a empresa não comentou o assunto. Acionada pela reportagem, a assessoria do Executivo afirmou que, por solicitação de Bruno, o Conselho de Administração da Empav realizará uma reunião extraordinária hoje pela manhã, a fim de discutir “com urgência” as denúncias apresentadas pelo sindicato da categoria ao MP. O ofício com as denúncias foi entregue pelo Sinserpu à Secretaria de Administração e Recursos Humanos no início da tarde desta segunda, após a reunião já estar agendada.

Na convocação para a reunião extraordinária, o presidente do Conselho, o secretário de Obras, Amaury Coury, cita matéria publicada pela Tribuna no último sábado, que trazia algumas das denúncias encaminhadas pelo Sinserpu ao MP. A sessão está agendada para 9h30, na sede Secretaria de Obras, no Bairro Poço Rico.

Câmara pode investigar denúncia

O presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi, também irá recorrer ao Poder Legislativo. Para isso, já tem uma reunião agendada para quinta-feira com o presidente Câmara, o vereador Rodrigo Mattos (PSDB). Em pauta estarão as denúncias feitas ao MP, que apontam supostas irregularidades na gestão da empresa pública. Na ocasião, o sindicato deve formalizar um pedido para que o Legislativo apure de perto o caso com a criação de uma CPI. Nos corredores do Palácio Barbosa Lima, alguns vereadores já admitem a possibilidade de instauração do processo, que já está sendo chamado de CPI do Empav. Com cadeira no Conselho de Administração da Empav, a Câmara será representada pelo vereador Cido Reis (PPS) na reunião extraordinária de hoje.

Paralisação

Convocados pelo Sinserpu e com o apoio da Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais (Feserp) e CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), os servidores da Empav cruzaram os braços e paralisaram a atividade na manhã de ontem em protesto contra a situação da frota veicular da empresa pública, que, segundo o sindicato, estaria sucateada. A manifestação aconteceu três dias depois do acidente que vitimou um funcionário da empresa. Hoje, os trabalhos serão normalizados, mas a deliberação do Sinserpu é de que apenas os veículos que apresentarem funcionamento perfeito em sistemas importantes, como os de direção e freios, sairão para as ruas.

O acidente resultou na morte de Iran da Silva, 42 anos. O servidor seguia em um caminhão Mercedes-Benz que conduzia a equipe de capina. Segundo o motorista, ao descer um trecho íngreme no sentido Bairro Santo Antônio/Centro, o sistema de freios do automóvel não respondeu. O Mercedes tombou para o lado em que a vítima estava sentada, e Iran não resistiu aos ferimentos, morrendo na hora.

18/08/2015

Após pressão do Sindicato, dois diretores da EMPAV/Prefeitura de Juiz de Fora são afastados

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – O diretor-presidente, José Eduardo Araújo, e o diretor financeiro- administrativo, Teodoro Pires de Mendonça, da EMPAV (a empresa de pavimentação de Juiz de Fora) foram afastados dos cargos, por 30 dias, na manhã desta terça-feira (18 de agosto), após reunião do Conselho de Administração da empresa. A saída de ambos foi uma das reivindicações da manifestação (foto) de ontem (segunda-feira, 17 de agosto), realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) com o apoio da FESERP-MG e da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros). Apesar disso, o presidente do SINSERPU-JF Amarildo Romanazzi deixou claro que a medida não satisfaz a categoria. “esse afastamento por apenas 30 dias é paliativo. Caso ocorra o retorno dos diretores após esse prazo novas manifestações irão acontecer, já que não há diálogo deles com os servidores da EMPAV”.

A reunião do Conselho de Administração da empresa também decidiu por um trabalho de sindicância, para apurar as denúncias do SINSERPU-JF sobre irregularidades na EMPAV. O grupo de trabalho terá quatro integrantes, obrigatoriamente funcionários de carreira da Prefeitura: dois técnicos da Secretaria de Fazenda, um da Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SRH) e um da Procuradoria Geral do Município.

27/08/2015

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Leia aqui o Informativo do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

 

JornalAgo_Set2015 (2) (1) (1)

14/09/2015

Irregularidades na EMPAV, denunciadas pelo Sindicato de Juiz de Fora, serão discutidas na Câmara Municipal

SAMSUNG CAMERA PICTURES (Juiz de Fora – MG) – A Câmara Municipal de Juiz de Fora marcou para o dia 30 de setembro a Audiência Pública que vai discutir as denúncias de irregularidades na EMPAV (Empresa de Pavimentação da Prefeitura), feitas pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF). O documento com as denúncias (frota sucateada, péssimas condições de trabalho, má gestão do órgão, entre outras) foi entregue ao Ministério Público em 13 de agosto. No dia seguinte um funcionário morreu após acidente com um dos veículos da empresa. No dia 17 daquele mês um ato do SINSERPU-JF, apoiado pela FESERP-MG e a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), paralisou as atividades na EMPAV (foto) e exigiu a exoneração do diretor-presidente José Eduardo Araújo e do diretor administrativo-financeiro da empresa, Teodoro Pires de Mendonça – naquela mesma semana, eles foram afastados pelo prefeito Bruno Siqueira, depois da criação de um grupo de trabalho para analisar a situação.

Para a Audiência Pública do dia 30, agendada para as 15h, foram convocados os secretários municipais de Governo, de Administração e Recursos Humanos, da Fazenda e de Obras, representantes do Conselho de Administração da EMPAV, o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, e membros do Ministério Público.

 

30/09/2015

Audiência Pública na Câmara define demissão de diretores da EMPAV e sacramenta vitória do SINSERPU-JF

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – Uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Juiz de Fora, na tarde desta quarta-feira (30 de setembro), discutiu as denúncias de irregularidades na EMPAV (a empresa de pavimentação da Prefeitura) feitas pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) e tornadas públicas em agosto. Ao final da reunião, várias vitórias para os trabalhadores. A primeira delas, o secretário municipal de Governo, José Sóter de Figueirôa Neto, anunciou oficialmente a exoneração do diretor-presidente, José Eduardo Araújo, e o do diretor financeiro-administrativo, Teodoro Pires de Mendonça, da EMPAV – e essa era a principal reivindicação dos funcionários, um dos motivos, inclusive, da paralisação de 18 de agosto. E não só isso: o representante do Executivo afirmou ainda que “o prefeito Bruno Siqueira (PMDB), atendendo às reivindicações do SINSERPU-JF, extinguiu o cargo de vice-presidente da empresa, vai elaborar um lista de cargos comissionados para análise e possivelmente enxugamento, redimensionar o trabalho de alguns servidores da EMPAV e determinar que o Conselho de Administração, no qual sindicalistas tem assento, passe a se reunir uma vez por mês”. Em suma, segundo o secretário, a “EMPAV terá vida nova a partir de agora”, com a participação pedida do Sindicato. O presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, dividiu as vitórias com todos. “Os méritos das conquistas são de toda a classe, de todos os trabalhadores que estão de parabéns”, disse. A FESERP-MG foi representada na reunião pelo responsável pela Diretoria de Portadores de Necessidades Especiais Anderson Alvim.

Porém, apesar das vitórias sindicais, Amarildo Romanazzi fez questão de alertar para a situação atual da EMPAV. “Os dois diretores demitidos eram dois incompetentes e deram prejuízo à empresa, entre juros e multas em algo em torno de R$ 1 milhão. A EMPAV está falida e se nada for feito ela pode até acabar”, disse. Sobre isso, o secretário municipal de Governo pediu um voto de confiança. “A hora é de olhar para a frente. Creio que hoje é um dia histórico para a empresa”, afirmou José Sóter de Figueirôa, que prometeu divulgar nesta quinta-feira (primeiro de outubro) o teor do relatório do Conselho de Administração da EMPAV sobre as denúncias de irregularidades feitas pelo SINSERPU-JF.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

01/10/2015

Presidente da FESERP-MG parabeniza SINSERPU-JF pelas vitórias no Caso EMPAV

SAMSUNG CAMERA PICTURES(Juiz de Fora – MG) – O presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira (foto), parabenizou a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) pelas vitórias alcançadas no caso EMPAV. “As medidas anunciadas ontem (quarta-feira, 30 de setembro) na Audiência Pública da Câmara Municipal mostram o poder de força do Sindicato, assim como a sua independência e o comprometimento com as causas da categoria. Além disso, vitórias dessa natureza são fundamentais para determinar quais sindicalistas lutam realmente pelo servidor”, disse Cosme Nogueira, que lamentou não estar presente na reunião em razão compromissos assumidos, em nome da Federação, nas cidades de Governador Valadares, Muriaé, Caratinga, Ponte Nova e Viçosa.

 

01/10/2015

Deu na Mídia: Audiência na Câmara para tratar das irregularidas na EMPAV denunciadas pelo SINSERPU-JF

SAMSUNG CAMERA PICTURESFonte: Jornal Tribuna de Minas, Juiz de Fora (MG), edição de primeiro de outubro de 2015

A comissão de sindicância responsável por apurar as irregularidades na Empav entrega hoje o documento ao conselho administrativo da empresa. Ontem, uma audiência pública na Câmara Municipal esquentou o clima acerca das denúncias de irregularidades que motivaram a investigação. Com a plateia lotada de funcionários, integrantes do Sinserpu expuseram a preocupação com a denúncias de ordem patrimonial, financeira e de recursos humanos da Empav. O secretário de Governo, José Sóter Figueirôa confirmou o desligamento do diretor José Eduardo Araújo e do diretor financeiro Theodoro Mendonça, revelado ontem com exclusividade pela Tribuna. As exonerações devem ser publicadas no Atos do Governo de hoje e foram decididas, segundo o secretário, de “maneira preventiva”. Também foram definidos a exclusão do cargo de vice-presidente e o corte de comissionados. Figueirôa afirma que ainda não há nomes para a vaga de José Eduardo.

O presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi (foto), comemorou o afastamento, lembrando a ação do sindicato junto ao Ministério Público para apontar as denúncias. À Tribuna, o sindicalista disse que o teor do relatório a ser entregue trata, em boa parte, dessas denúncias, que incluem falta de pagamento do FGTS dos funcionários, multas por atrasos no pagamento de fornecedores, leilões de terreno sem edital de convocação, entre outras. Ele afirmou que os problemas foram gerados por “incompetência administrativa” e que os prejuízos podem ultrapassar R$ 1 milhão. Além disso, Romanazzi defendeu que os diretores afastados não recebam a verba rescisória “até que fique comprovado que não haja envolvimento com as irregularidades”, disse.

Durante a audiência, Figueirôa explicou que o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) tomou providências antecipadas em relação às denúncias ao demitir os diretores. Ele ressaltou, no entanto, a necessidade de ouvir todos os que foram citados no relatório. Além disso, apontou dificuldades em relação à perda de receitas pela empresa nos últimos anos e falou que a Empav precisa de uma “reestruturação eficiente”.

A respeito da decisão do Executivo, o vereador Roberto Cupolillo (Betão, PT) ressaltou que o desligamento dos diretores não esgota o problema. Ele cobrou que seja feito o corte de comissionados, solicitando também o cumprimento do plano de carreira dos funcionários. Membro da comissão de sindicância, o vereador Cido Reis (PPS) explicou que, no texto do relatório, não constam denúncias relacionadas ao plano de carreira e que, para isso, deveriam ser abertas novas apurações. O proponente da audiência, Wanderson Castelar (PT) destacou que esperava mais da audiência, pelo fato de a comissão ter encerrado o relatório. Também reforçou o coro do colega de bancada para que as providências não se resumam apenas a demissão dos diretores.

06/10/2015

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui (no link abaixo) o Informativo do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

JornaldoSindicatodeJuizdeFora

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

 

22/10/2015

Prefeito de Juiz de Fora anuncia Piso Nacional para agentes de combate às endemias

SAMSUNG CAMERA PICTURES

(Juiz de Fora – MG) – Na presença do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, (que estava acompanhado dos diretores Antônio Carlos Sant’Ana e Wilson Mattos), do presidente da FESERP-MG Cosme Nogueira e dezenas de servidores, o prefeito de Juiz de Fora Bruno Siqueira anunciou, na tarde desta quinta-feira (22 de outubro), a concessão do Piso Nacional (R$ 1.014,00) para os agentes de Combates às Endemias. “O projeto está sendo elaborado e será encaminhado à Câmara o mais breve possível. Em dezembro os trabalhadores já receberão o novo salário”, afirmou o prefeito, acrescentando que o direito ao piso é uma reivindicação antiga e trabalhada por muita gente, principalmente o SINSERPU-JF e a AAEJF (Associação dos Agentes de Endemias de Juiz de Fora). “Dependíamos da garantia de repasse do Governo Federal, responsável por boa parte dos recursos desse programa do piso. Ainda não temos, mas de qualquer forma está garantido o pagamento em dezembro, inclusive a parcela correspondente do décimo – terceiro. Com o futuro repasse federal podemos pensar na questão da retroatividade dos vencimentos”, disse Bruno Siqueira. Para o presidente do SINSERPU-JF, trata-se de uma grande vitória da categoria, que deve ser seguida por outras. “Temos agora outras questões, como a da necessidade dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual, dos crachás e dos PAs (pontos de apoio), sem contar a retroatividade”, listou Amarildo Romanazzi. Já o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, destacou o momento “especial e histórico” vivido com a conquista e creditou uma parte da vitória a uma característica da administração municipal: um bom número de secretários ser servidor de carreira. “Temos cinco nessa situação e a secretária de Administração e Recursos Humanos Andréia Goreske (presentete ao ato) tem essa sensibilidade porque é funcionária concursada, com 23 anos de carreira”, disse.

O palco do anúncio do piso, formal, mais um conversa entre o prefeito e os agentes, foi a Divisão de Vigilância Sanitária. Também estavam presentes o presidente da AAEJF, Sebastião José Soares Ramos, o secretário adjunto de Saúde, Alessandro Campos, e o subsecretário de Vigilância em Saúde Rodrigo Almeida.

26/10/2015

Agentes de Endemias de Juiz de Fora passam a receber piso em dezembro

SAMSUNG CAMERA PICTURESFonte: Site do Sindicato dos Servidores Públicos de Juiz de Fora (SINSERPU)

A partir de dezembro deste ano, os agentes de combate a endemias  receberão o tão esperado piso salarial, no valor de R$1.014. Um direito garantido pela Lei Federal 12.994, sancionada em 2014, a implantação do piso em Juiz de Fora se dará graças a muita luta da categoria e do SINSERPU-JF.

A reivindicação do piso integra a pauta da Campanha Salarial 2015 formulada pelo sindicato e protocolada na Prefeitura no dia 20 de março. O tema foi alvo de cobranças da direção da entidade em diversas reuniões com representantes da PJF, durante as negociações e após o seu fechamento. “O sindicato pressionou enquanto a Prefeitura não regularizou a situação. Cobramos da secretária de Administração e Recursos Humanos, Andréa Gorescki e do subsecretário de Saúde, Rodrigo Almeida”, recorda-se o presidente do sindicato, Amarildo Romanazzi.

Décimo-terceiro -  O anúncio oficial da vitória dos trabalhadores aconteceu no dia 22 de outubro. Em solenidade, o prefeito Bruno Siqueira assumiu o compromisso de cumprir a lei. Seguindo os trâmites legais, o projeto, será encaminhado à Câmara Municipal para ser aprovado. Em dezembro o piso será pago inclusive com a parcela correspondente do décimo terceiro.

Outras cobranças – No encontro, o presidente do sindicato, Amarildo Romanazzi,  renovou outras reivindicações dos agente de endemias. Entre as cobranças está o pagamento do retroativo do piso à data a lei de sua implantação. Em público, o prefeito assumiu o compromisso do repasse, desde que o Ministério da Saúde encaminhe os recursos.

EPI e regulamentações – O presidente do SINSERPU-JF reivindicou ainda a regulamentação da lei do cargo de supervisão. “Ela existe na prática e na lei, que, no entanto, ainda não foi regularizada”, disse Amarildo. O fornecimento dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) foi outra cobrança. O subsecretário de saúde Rodrigo Almeida garantiu a entrega do material em curto espaço de tempo.

Novo Centro de Apoio – Amarildo destacou também a urgência de uma nova sede de apoio, uma vez que a atual encontra-se em situação muito precária. Ele defendeu também melhor assistência logística para as equipes em campo, uma vez que os trabalhadores não possuem banheiros ou local para lanches. O subsecretário de saúde lembrou sua visita recente  em campo e reconheceu as deficiências dos trabalhadores. Rodrigo se compromete a solucionar os problemas em curto espaço de tempo.

Adicional de insalubridade – Outra reivindicação feita pelo presidente do sindicato durante a solenidade foi o urgente pagamento do adicional de insalubridade aos profissionais que não receberam a diferença. Os representantes da Administração garantiram a correção da irregularidade. “O sindicato estará atento para que todos os compromissos firmados verbalmente sejam cumpridos na prática. Continuaremos de olho ”, diz o presidente Amarildo.

25/11/2015

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui, no link abaixo, o Informativo de Novembro do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Jornal Sinserpu-JF Novembro

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

1/01/2016

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui o Informativo do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), de dezembro de 2015

http://www.sinserpujf.com.br/images/Jornais%202015/12_dezembro_2015.pdf

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

12/01/2016

Sindicato de Juiz de Fora consegue terreno para construção de sede campestre

Veja aqui o vídeo sobre o assuntohttps://youtu.be/Pzz8GloMczI

(Juiz de Fora – MG) – Em cerimônia na sala de reuniões do gabinete do Executivo, no final de dezembro, o prefeito Bruno Siqueira assinou o documento de doação de terreno da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) para a construção da sede campestre do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF). A reunião contou com a presença dos presidentes da FESERP-MG< Cosme Nogueira, e do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, dos secretários municipais de Comunicação Social, Michael Guedes; da Fazenda, Fúlvio Albertoni; de Desenvolvimento Econômico, Geração de Emprego e Renda, André Zuchi; de Administração e Recursos Humanos, Andréia Goreske; do adjunto de Governo, Paulo Gutierrez; do superintendente da Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Nilson Ferreira; da chefe da Guarda Municipal, Emilce de Castro; dos vereadores Antônio Aguiar e Pardal e de outros representantes do sindicato.

Expressando a satisfação dos servidores pela nova conquista, Romanazzi comentou os planos para a sede campestre: “Com diálogo, vamos conquistando nossos sonhos. Esse é um sonho antigo, ter um lugar para lazer, confraternizar e se reunir. O projeto já está no papel. Esperamos poder começar a obra em 2016 e em 2017 já estar usufruindo do espaço”.

Para Bruno Siqueira, o ato marcou um ano de parceria com o funcionalismo público: “2015 foi um ano difícil, de crise, e passamos por todas as dificuldades com transparência e responsabilidade. Agradecemos a compreensão dos servidores e do sindicato, por entenderem que não faríamos propostas astronômicas, que depois não conseguiríamos cumprir. Fechar esse ano honrando os nossos compromissos com os servidores, pagando os salários e o 13º em dia e ainda conseguindo atender essa demanda antiga, que é o terreno para a sede campestre, nos deixa muito felizes e renovam as esperanças para um 2016 melhor”. O prefeito anunciou ainda outras boas notícias para o próximo ano, como inaugurações nas áreas de saúde, educação e mobilidade e concurso na PJF.

O vereador Antônio Aguiar, que também é servidor público, reconheceu a importância da iniciativa: “Essa administração é diferente. Não me lembro de outra época em que o servidor público tenha sido tão respeitado e ouvido. É a valorização do trabalhador que mantém, com qualidade, o funcionamento dos serviços públicos do município”.

O terreno – A área, com aproximadamente 26 mil metros quadrados, fica na Rua Diva Garcia, no Bairro Linhares, e foi outorgada em permissão de uso, em caráter precário, gratuito e por tempo indeterminado ao Sinserpu, para construção de sede campestre, destinada notadamente à promoção de atividades de caráter esportivo, cultural e artístico, sem qualquer fim lucrativo. O terreno está avaliado em quase R$ 89 mil.

Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora

Doação terreno

 

Doação terreno 2

 

 

18/01/2016

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui o Informativo de janeiro/2016 do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

http://www.sinserpujf.com.br/images/Jornais%202016/sinserpu_janeiro_2016.pdf

Jornal JF janeiro

 

28/01/2016

Servidores de Juiz de Fora começam, nesta quinta-feira, a Campanha Salarial 2016

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora se reúnem nesta quinta-feira (28 de janeiro), em Assembleia, para definirem a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2016. O encontro será às 18h, no auditório da Sociedade de Medicina e Cirurgia (Rua Braz Bernardino, nº 59 – Centro). Este ano, o processo inicia-se mais cedo, devido à transferência da data-base do servidor que anteriormente era 1º de maio, para 1º de fevereiro. A transferência da data-base para o início do ano foi uma reivindicação da categoria aprovada em assembleia do ano passado e negociada com a Administração Municipal. Durante as discussões ficou decidido que a data-base em fevereiro será somente em 2016, passando para janeiro a partir de 2017. Na convocação para a Assembleia, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) lembra que “para uma boa negociação salarial é preciso que cada servidor participe, comparecendo às assembleias e mobilizações”.

Assembleia JF

 

01/02/2016

Sindicato de Juiz de Fora promove festa para o servidor

(Juiz de Fora – MG) – Muita alegria, fartura de comes e bebes, bom papo, brincadeira para criançada, dança, shows de samba, sertanejo e DJ. A Festa do Servidor promovida pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), mais uma vez, esbanjou animação e harmonia. Mais de duas mil pessoas, entre servidores e familiares, aproveitaram a tarde/noite do dia 30 de janeiro (sábado) no Parque de Exposições. Tudo transcorreu em perfeita tranquilidade e os seguranças contratados não tiveram qualquer trabalho. As imagens abaixo (no link) são uma pequena amostra dos momentos de celebração da categoria. Um presente do SINSERPU-JF para os associados e seus familiares.

 

O presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, esteve presente e elogiou o evento: A Festa foi muito bem organizada. “Está de parabéns a atual diretoria do SINSERPU-JF por proporcionar esses momentos de lazer e confraternização entre os trabalhadores”

http://www.sinserpujf.com.br/galfotofesta.html

Texto: Sinserpu-JF

festa do sinserpu 6

 

festa sinserpu 3

 

04/02/2016

Chapa única na eleição do Sindicato de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – Uma única chapa, encabeçada pelo atual presidente Amarildo Romanazzi da Fonseca (foto) e apoiada pela FESERP-MG, se apresentou para as eleições no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF). O prazo para registro dos postulantes terminou nesta quarta-feira (03 de fevereiro) e o processo eletivo está marcado para os dias 22 e 23 de março, com 12 urnas. Cinco delas ficarão fixas nos seguintes pontos: na sede do Sindicato (Rua São Sebastião, 780, Centro), DEMLURB (Rua Francisco Valadares, 1.000, Vila Ideal), na EMPAV (Avenida Brasil, 2001), na Secretaria de Obras (Rua Osório de Almeida, 200, Poço Rico) e no HPS (Avenida Rio Branco, 3.300, Passos). As outras urnas, itinerantes, percorrerão as regiões Norte, Sul, Leste, Oeste, Centro e Sudoeste da cidade. O novo mandato vai até 2020.

A Chapa completa:

Presidente: Amarildo Romanazzi da Fonseca

Vice-Presidente: Francisco Carlos da Silva (Chiquinho)

2º Vice-Presidente: Ivan Expedito Catarina

1º Diretor Administrativo: Tadeu José Vieira (Fofão)

2º Diretor Administrativo: Flávio Roberto Vieira da Cunha

1º Diretor Financeiro: Antônio Carlos de Sant’Ana (Santana)

2º Diretor Financeiro: Jairo Cesar Rodrigues (Show de Bola)

Diretor de Comunicação Social e Cultura: Joaquim Tavares de Souza Neto (Bomba)

Diretor de Formação Sindical: Paulo Azarias

Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos: Saionara Apolinário (Saiô)

Diretor de Relações do Trabalho: Flávio Vaz Martins (Vaz)

Diretor de Relações Institucionais: Cosme Ricardo Gomes Nogueira

Diretor de Saúde: Deise da Silva Medeiros (Gêmeas)

Diretor Social, Raça e Gênero Régis: José de Oliveira (Régis da Vila)

Conselho Fiscal Efetivo: Wilson Cezar de Oliveira Mattos (Chassi de Grilo), Dalmecir Custódio,  Fernanda de Oliveira Carvalho

Conselho Fiscal Suplente: Irlan Pereira da Silva, Luciano Rodrigues dos Reis, Júlio Cesar Mendonça

Diretores  de Base: Agnaldo Jailson de Almeida, Alairte Martins (Lair do Caminhão), Antônio Pedro de Oliveira (Taxinha), Carlos Roberto Bizzotti, Emílio Leandro de Sá (Polêmico), João Batista Leonel (Batistão), Juçara Cipriano Martins, Lione Aparecida Santos, Lucimar Candido de Souza, Luiz Gustavo Mateus Nascimento , Manuel Martins Morais, Maria da Penha Daniel, Paulo Henrique de Oliveira, Roberto Silva Sabino, Sebastião Fernandes Roberto (Mussum) e Vanilson Gomes de Oliveira.

Amarildo

05/02/2016

Servidores de Juiz de Fora reivindicam 5% de ganho real

(Juiz de Fora – MG) – Em Assembleia realizada na última quinta-feira (28 de janeiro), os servidores municipais de Juiz de Fora aprovaram a pauta de reivindicações a ser encaminhada à Administração Municipal. Na mesa de negociações este ano o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) defenderá 5% de recomposição das perdas salariais, além do IPCA do período. O sindicato se empenhará, ainda, na busca pela isonomia do ticket alimentação para todos os servidores no valor de R$ 300 e o fim da cláusula que obriga a assiduidade. Também consta da pauta de reivindicações a substituição da empresa Vale Mais que administra o cartão alimentação. O motivo são os constantes bloqueios do cartão pela operadora, o que tem gerado constrangimentos aos usuários.

Outra reivindicação diz respeito à extensão do financiamento do plano de Saúde Servidor para os funcionários da Empav. Também com relação à Empav, o sindicato reivindicará que a Administração e a direção da empresa coloquem imediatamente em prática o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

Para os agentes comunitários de saúde, o sindicato reivindicará a implantação imediata do Plano de Cargos e Empregos. O projeto elaborado pelo SINSERPU-JF, já foi, inclusive, apreciado pela Administração, restando agora ser colocado em prática.  A equiparação da insalubridade dos novos agentes comunitários de saúde com percentual de 20%, calculado sobre o salário base é outro ponto de pauta.

Além disso será cobrada a incorporação do adicional de penosidade na aposentadoria para todos os profissionais da saúde dos setores de urgência e emergência. Ao todo, mais de 30 itens serão discutidos nas negociações deste ano. A pauta na íntegra será apresentada aos servidores no site do sindicato após ser protocolada na Prefeitura, após o carnaval.

Fonte: site do SINSERPU-JF

14/03/2016

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora – Edição especial da Festa do Servidor

Leia aqui a edição especial do Jornal do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), sobre a Festa do Servidor

http://www.sinserpujf.com.br/…/J…/jornalfestajaneiro2016.pdf

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

21/03/2016

Eleições no Sindicato de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – Os associados elegem, nesta terça e quarta-feira (22 e 23 de março), a nova direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), para um mandato de cinco anos (2016-2020). Concorre apenas uma chapa, encabeçada pelo atual presidente Amarildo Romanazzi da Fonseca. O processo eleitoral, nos dois dias, vai das 6h ás 18h, em 19 urnas – 11 itinerantes e oito em locais fixos: no Demlurb, na Secretaria de Obras, Empav, no Centro de Apoio da Rua Halfeld, no HPS, na Settra (prédio da Rua Maria Perpétua), Regional Leste, no prédio da Prefeitura e na sede do SINSERPU-JF. O filiado deve comparecer munido de um documento de identidade e seu nome deve constar da lista de votantes que se encontrará com os mesários. Caso contrário, terá direito de votar em separado.

Para referendar a chapa única, em primeiro turno, serão necessários 50% mais um dos associados que comparecerem às urnas. “È muito importante que e a eleição seja decidida nesse primeiro turno. Caso contrário, uma nova eleição acarretaria mais custos (urnas, carros, combustíveis, alimentação etc.) para o Sindicato. E esses recursos poderão ser investidos em outras ações que beneficiarão a categoria, como a construção da nova sede campestre dos servidores”, diz Amarildo Romanazzi.

A Chapa completa:

Presidente: Amarildo Romanazzi da Fonseca

Vice-Presidente: Francisco Carlos da Silva (Chiquinho)

2º Vice-Presidente: Ivan Expedito Catarina

1º Diretor Administrativo: Tadeu José Vieira (Fofão)

2º Diretor Administrativo: Flávio Roberto Vieira da Cunha

1º Diretor Financeiro: Antônio Carlos de Sant’Ana (Santana)

2º Diretor Financeiro: Jairo Cesar Rodrigues (Show de Bola)

Diretor de Comunicação Social e Cultura: Joaquim Tavares de Souza Neto (Bomba)

Diretor de Formação Sindical: Paulo Azarias

Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos: Saionara Apolinário (Saiô)

Diretor de Relações do Trabalho: Flávio Vaz Martins (Vaz)

Diretor de Relações Institucionais: Cosme Ricardo Gomes Nogueira

Diretor de Saúde: Deise da Silva Medeiros (Gêmeas)

Diretor Social, Raça e Gênero: Régis José de Oliveira (Régis da Vila)

Conselho Fiscal Efetivo: Wilson Cezar de Oliveira Mattos (Chassi de Grilo), Dalmecir Custódio, Fernanda de Oliveira Carvalho

Conselho Fiscal Suplente: Irlan Pereira da Silva, Luciano Rodrigues dos Reis, Júlio Cesar Mendonça

Diretores  de Base: Agnaldo Jailson de Almeida, Alairte Martins (Lair do Caminhão), Antônio Pedro de Oliveira (Taxinha), Carlos Roberto Bizzotti, Emílio Leandro de Sá (Polêmico), João Batista Leonel (Batistão), Juçara Cipriano Martins, Lione Aparecida Santos, Lucimar Candido de Souza, Luiz Gustavo Mateus Nascimento , Manuel Martins Morais, Maria da Penha Daniel, Paulo Henrique de Oliveira, Roberto Silva Sabino, Sebastião Fernandes Roberto (Mussum) e Vanilson Gomes de Oliveira.

22/03/2016

Tranquilidade e grande participação marcam eleições no Sindicato de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – A terça-feira (22 de março) amanheceu animada nos postos de trabalho da Prefeitura de Juiz de Fora, onde acontecem as eleições para a escolha da nova direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF). Já nas primeiras horas do dia, os servidores compareceram às urnas, aderindo em peso ao chamamento da direção. A Chapa 1 formada por representantes da atual diretoria e por novos integrantes e apoiada pela FESERP-MG é a única candidata ao posto, uma vez que não houve inscrição de outros concorrentes. Amarildo Romanazzi, atual presidente da entidade (primeira foto abaixo) busca a reeleição tendo como vice, Francisco Carlos da Silva, o Chiquinho da Empav. O pleito prossegue até as 18h e retoma amanhã (quarta-feira, 23 de março), às 6h. Para o encerramento das eleições no primeiro turno será preciso o voto de  50% mais 1 do total de associados, atualmente em torno de 4 mil servidores.

Texto: SINSERPU-JF

Juiz de Fora - votação 1

 

Juiz de Fora - votação 2

 

Juiz de Fora - votação 3

 

Juiz de Fora - votação 4

 

Juiz de Fora - votação 5

 

Juiz de Fora - votação 6

 

22/03/2016

FESERP-MG apoia reeleição no Sindicato de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – O presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira – que é funcionário da Prefeitura de Juiz de Fora, lotado no DEMLURB/Departamento de Limpeza Urbana – votou, na tarde desta terça-feira (22 de março), na Chapa 1, pela reeleição da atual diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF). “Eles fizeram um ótimo trabalho, com muitas conquistas, tem um compromisso de lutas pela frente, com muitos planos, e são atuantes no cenário da minha cidade”, resumiu Cosme Nogueira. Uma equipe da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil), liderada pelo presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos Estaduais e Municipais do Estado do Mato Grosso do Sul (Feserp/MS) Rudney Vera de Carvalho, também está na cidade, prestando apoio à Chapa 1.

O processo eleitoral no SINSERPU-JF começou as 6h, e prossegue nesta quarta-feira (23 de março) no mesmo horário. Como só uma chapa, encabeçada pelo atual presidente Amarildo Romanazzi da Fonseca, se inscreveu há a necessidade de que ela obtenha o voto de 50% mais 1 do total de associados, atualmente em torno de 4 mil servidores. O novo mandato é de cinco anos (2016-2020).

Estão disponibilizadas 19 urnas – 11 itinerantes e oito em locais fixos: no Demlurb, na Secretaria de Obras, Empav, no Centro de Apoio da Rua Halfeld, no HPS, na Settra (prédio da Rua Maria Perpétua), Regional Leste, no prédio da Prefeitura e na sede do SINSERPU-JF. O filiado deve comparecer munido de um documento de identidade e seu nome deve constar da lista de votantes que se encontrará com os mesários. Caso contrário, terá direito de votar em separado.

Juiz de Fora - votação  Cosme 8

23/03/2016

Urnas consagram reeleição da atual diretoria do Sindicato de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – A atual diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) foi reeleita, na noite desta quarta-feira (23 de março), após um processo eleitoral de dois dias. A Chapa 1, única inscrita, obteve 95,7 % dos votos e vai comandar a entidade até 2020. A FESERP-MG apoiou a chapa por, nas palavras do presidente Cosme Nogueira, “todo o ótimo trabalho, com muitas conquistas, que eles fizeram e pelos planos concretos para o futuro”. Também esteve em Juiz de Fora, dando todo o suporte necessário, uma equipe da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil), com Rudney Vera de Carvalho (diretor de Articulação Sindical da Confederação e presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos Estaduais e Municipais do Estado do Mato Grosso do Sul /Feserp/MS) Damião Nascimento e Sebastião Paz.

“A vitória é bem-vinda, mas junto com ela vem os desafios e a responsabilidade. Não foi fácil (conseguir os 50% e uma votação maior que a eleição passada), mas estamos preparados para enfrentar as cobranças que virão – e quero que venham”, disse Amarildo Romanazzi, logo após saber que estava reeleito. “Deus não escolhe os capacitados e sim capacita os escolhidos”, completou. Além das diversas lutas do dia a dia, ele escolheu como prioridade de seu segundo mandato a construção da sede campestre.

A Diretoria eleita

Presidente: Amarildo Romanazzi da Fonseca

Vice-Presidente: Francisco Carlos da Silva (Chiquinho)

2º Vice-Presidente: Ivan Expedito Catarina

1º Diretor Administrativo: Tadeu José Vieira (Fofão)

2º Diretor Administrativo: Flávio Roberto Vieira da Cunha

1º Diretor Financeiro: Antônio Carlos de Sant’Ana (Santana)

2º Diretor Financeiro: Jairo Cesar Rodrigues (Show de Bola)

Diretor de Comunicação Social e Cultura: Joaquim Tavares de Souza Neto (Bomba)

Diretor de Formação Sindical: Paulo Azarias

Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos: Saionara Apolinário (Saiô)

Diretor de Relações do Trabalho: Flávio Vaz Martins (Vaz)

Diretor de Relações Institucionais: Cosme Ricardo Gomes Nogueira

Diretor de Saúde: Deise da Silva Medeiros (Gêmeas)

Diretor Social, Raça e Gênero: Régis José de Oliveira (Régis da Vila)

Conselho Fiscal Efetivo: Wilson Cezar de Oliveira Mattos (Chassi de Grilo), Dalmecir Custódio, Fernanda de Oliveira Carvalho

Conselho Fiscal Suplente: Irlan Pereira da Silva, Luciano Rodrigues dos Reis, Júlio Cesar Mendonça

Diretores  de Base: Agnaldo Jailson de Almeida, Alairte Martins (Lair do Caminhão), Antônio Pedro de Oliveira (Taxinha), Carlos Roberto Bizzotti, Emílio Leandro de Sá (Polêmico), João Batista Leonel (Batistão), Juçara Cipriano Martins, Lione Aparecida Santos, Lucimar Candido de Souza, Luiz Gustavo Mateus Nascimento , Manuel Martins Morais, Maria da Penha Daniel, Paulo Henrique de Oliveira, Roberto Silva Sabino, Sebastião Fernandes Roberto (Mussum) e Vanilson Gomes de Oliveira.

 

 

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

Notícias

31/03/2016

Prefeitura de Juiz de Fora atende reivindicação do Sindicato e anuncia abertura de concurso público

(Juiz de Fora – MG) – O prefeito Bruno Siqueira (PMDB) assinou na manhã desta quinta-feira (31 de março) três editais de concurso público que serão realizados para provimento de cargos na Prefeitura de Juiz de Fora. Os editais serão publicados no Diário Oficial Eletrônico do Município desta sexta-feira (primeiro de abril). Serão oferecidas 164 vagas previstas para cargos de nível fundamental, médio, técnico e superior, com salários que variam de R$ 898,72 a R$ 10.038,68. A expectativa é que mais de 20 mil pessoas participem da disputa, cujas inscrições acontecem entre 6 de junho e 11 de julho através do site da empresa organizadora. As primeiras provas objetivas estão previstas para 28 de agosto. “Ficamos satisfeitos, pois é o atendimento de uma reivindicação antiga do sindicato, que a atual gestão teve a sensibilidade de reconhecer e atender à solicitação. Estamos bastante otimistas, pois sabemos da importância do concurso e da reposição de funcionários em diversos setores, além de contribuir para o Fundo de Previdência do Município”, avaliou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), Amarildo Romanazzi. “É fato muito importante, pois no momento que Governo Federal  manda ao Congresso um famigerado Projeto de Lei Complementar (PLC) que prejudica enormemente os funcionários públicos, inclusive acabando com os concursos, é bom saber que há alguém pensando o contrário dessa insensatez do Governo Federal, A nossa Federação é a favor de concursos públicos em qualquer situação”, afirmou o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira – que, em visita a sindicatos do Noroeste de Minas (Unaí e Paracatu) foi representado na cerimônia pelo assessor jurídico da FESERP-MG, Eldbrendo Monteiro.

Para o prefeito Bruno Siqueira, este vai ser um dos maiores concursos da história da Prefeitura de Juiz de Fora. “Vamos preencher vagas de funcionários que têm aposentado. É uma grande oportunidade para todo cidadão poder ingressar numa carreira pública. Fizemos estudos em relação às necessidades da Prefeitura, diagnosticando as demandas a fim de realizar o concurso”, disse. Já a secretária municipal de Administração e Recursos Humanos, Andréia Goreske, destacou o momento importante para toda a população. “Nós, servidores efetivos, sabemos a necessidade de se fazer um concurso público. São os servidores de carreira que garantem a continuidade dos processos de trabalho”, afirmou.

Os editais

O edital nº 01/2016 prevê vagas para Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Odontologia, Técnico de Nível Médio I – Higiene Bucal, cinco especialidades de Cirurgião Dentista, 40 especialidades de Médico, incluindo Saúde da Família e Comunidade e Técnico de Nível Superior – Enfermeiro. No total são 48 cargos e 94 vagas.

O edital nº 02/2016 prevê vagas para Encarregado, Motorista de Veículo Leve, Motorista de Veículo Pesado, Operador de Máquinas, Agente de Atendimento ao Público, Assistente de Administração, Programador, Técnico de Nível Médio (7 áreas de atuação) e 21 áreas de Nível Superior. São 36 cargos no total e 55 vagas previstas.

Já o edital nº 03/2016, prevê vagas para Agente de Transporte e Trânsito, Fiscal de Posturas Municipais e Procurador Municipal, totalizando 15 vagas.

Veja todos os cargos e as respectivas vagas iniciais no site da Prefeitura (www.pjf.mg.gov.br)

* Com informações e foto da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Juiz de Fora

Juiz de Fora - Concursos

 

11/04/2016

Diretoria reeleita toma posse em Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – Reeleita no último dia 23, com 95,7% dos votos dos servidores que foram às urnas, a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) tomou posse na noite desta segunda-feira (11 de abril), para um novo mandato, até abril de 2020. A cerimônia, na Câmara Municipal, contou com a presença dos vereadores Antônio Aguiar, Leo de Oliveira e Wagner Oliveira e de representantes dos vereadores Cido Reis, José Emanuel, Juscélio Maria e Wanderson Castelar e do deputado estadual Isauro Callais. O primeiro falou em nome dos parlamentares e elogiou a história e a postura do SINSERPU-JF, “muito bem conduzido por Amarildo Romanazzi”. Acrescentou que o novo mandato vai, “com certeza”, consolidar as conquistas dos trabalhadores.

“Estou revigorado e preparado psicologicamente para mais essa jornada. Tenho o ‘perdão’ da minha família (tantas vezes prejudicada com a minha ausência) e a confiança dos companheiros. O que mais posso querer?”, perguntou o presidente reeleito. Para Amarildo Romanazzi, o primeiro desafio dessa nova diretoria será a campanha salarial – que não começou bem, já que a proposta inicial da administração municipal é de apenas 0,5%.

O presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira – que também tomou posse, como diretor de Relações Institucionais do SINSERPU-JF – lembrou, em sua saudação, que os tempos são “extremamente difíceis” para os servidores, por conta da propalada crise administrativa das prefeituras e da recente edição, pelo Governo Federal, do Projeto de Lei Complementar (PLC) 257/2016, que prejudica enormemente o funcionalismo, mas que confia na “união da diretoria e na força da categoria” para novas lutas e novas vitórias. Na cerimônia, ele representou também a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil).

 

A Diretoria, mandato 2016-2020

Presidente: Amarildo Romanazzi da Fonseca

Vice-Presidente: Francisco Carlos da Silva (Chiquinho)

2º Vice-Presidente: Ivan Expedito Catarina

1º Diretor Administrativo: Tadeu José Vieira (Fofão)

2º Diretor Administrativo: Flávio Roberto Vieira da Cunha

1º Diretor Financeiro: Antônio Carlos de Sant’Ana (Santana)

2º Diretor Financeiro: Jairo Cesar Rodrigues (Show de Bola)

Diretor de Comunicação Social e Cultura: Joaquim Tavares de Souza Neto (Bomba)

Diretor de Formação Sindical: Paulo Azarias

Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos: Saionara Apolinário (Saiô)

Diretor de Relações do Trabalho: Flávio Vaz Martins (Vaz)

Diretor de Relações Institucionais: Cosme Ricardo Gomes Nogueira

Diretor de Saúde: Deise da Silva Medeiros (Gêmeas)

Diretor Social, Raça e Gênero: Régis José de Oliveira (Régis da Vila)

Conselho Fiscal Efetivo: Wilson Cezar de Oliveira Mattos (Chassi de Grilo), Dalmecir Custódio, Fernanda de Oliveira Carvalho

Conselho Fiscal Suplente: Irlan Pereira da Silva, Luciano Rodrigues dos Reis, Júlio Cesar Mendonça

Diretores  de Base: Agnaldo Jailson de Almeida, Alairte Martins (Lair do Caminhão), Antônio Pedro de Oliveira (Taxinha), Carlos Roberto Bizzotti, Emílio Leandro de Sá (Polêmico), João Batista Leonel (Batistão), Juçara Cipriano Martins, Lione Aparecida Santos, Lucimar Candido de Souza, Luiz Gustavo Mateus Nascimento , Manuel Martins Morais, Maria da Penha Daniel, Paulo Henrique de Oliveira, Roberto Silva Sabino, Sebastião Fernandes Roberto (Mussum) e Vanilson Gomes de Oliveira.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

25/04/2016

Presidente do Sindicato de Juiz de Fora reafirma repúdio ao PLC 257 e pede retirada do Projeto

(Juiz de Fora – MG) – Em visita à sede da FESERP-MG, na tarde desta segunda-feira (25 de abril), o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), Amarildo Romanazzi, reafirmou seu total repúdio ao PLC (Projeto de Lei Complementar) 257/2016, que retira direitos fundamentais dos servidores públicos. “Além de todos os itens prejudiciais, já de conhecimento de todos (suspensão de concurso público, ausência de reajuste salarial, aumento da contribuição previdenciária, de 11% para 14% etc.) há um outro tão grave quanto: a recomposição do salário mínimo, que nos últimos 12 anos teve aumento de 76%, também será atingida por esse Projeto”, analisou o sindicalista, que pede a imediata retirada do PLC das discussões na Câmara – que deve ser feita pelo líder do Governo na Casa.

Na visão de Amarildo Romanazzi essa retirada do Projeto é fundamental e urgente, para afastar qualquer chance de aprovação – possibilidade que ele teme também por razões políticas. “As centrais sindicais, as federações, os sindicatos e movimentos sindicais estão contra o PLC, por razões óbvias, e isso pode ser um motivador a mais para os deputados aprovar o projeto  e “jogar na conta” da  presidente Dilma Rousseff, cujo Governo  foi, afinal, o que elaborou a matéria. Isso pode ser mais um complicador nessa situação vivida pela presidente e ser usada para enfraquecer a resistência ao PLC 257”, argumentou.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

 

27/04/2016

Servidores da Secretaria de Obras de Juiz de Fora recusam proposta; Assembleia Geral é nesta sexta-feira

(Juiz de Fora – MG) – Uma visita-relâmpago da direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) à garagem da Secretaria de Obras (SO) mudou a rotina dos trabalhadores do setor na manhã desta terça-feira (26 de abril). O objetivo do encontro foi comunicar à categoria sobre o andamento das negociações salariais com a Prefeitura. As visitas se repetirão ao longo da semana nos postos de concentração de trabalhadores. Durante a reunião, o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, informou que a luta é pelo IPCA integral retroativo a fevereiro. “Qualquer oferta que não atinja a correção da inflação é calote”, disse. Ele lembrou que os gestores alegam não ter dinheiro, mas todo dia há novas contratações nos Atos do Governo. “Além disso, para o Executivo a crise pode afetar o servidor, mas não é empecilho para se criar uma nova secretaria”, criticou.

Nas negociações, primeiramente a Administração Municipal ofereceu um reajuste de 0,5%, retroativo a fevereiro. A diferença para se chegar a 7,19% seria paga somente em dezembro e sem retroatividade. A proposta foi descartada pela direção do SINSERPU-JF na mesa de negociação. No último dia 19, os gestores mantiveram o índice de 7,19% divididos em três vezes: 1% retroativo a fevereiro pago em julho, mais 2% em agosto não retroativos e o restante para se chegar a 7,19% em novembro, também sem retroatividade. O sindicato recusou novamente a proposta que também foi rejeitada por unanimidade pelos servidores da Secretaria de Obras, durante o encontro desta terça-feira (foto).

Uma Assembleia Geral acontece nesta sexta-feira (29 de abril), às 18h, na Sociedade de Medicina e Cirurgia (Rua Braz Bernardino 59, Centro de Juiz de Fora).

Texto e foto: site do SINSERPU-JF

Juiz de Fora 26.04

 

28/04/2016

Em “prévia”, servidores do DEMLURB dizem não à proposta da Prefeitura de Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – Em uma espécie de “prévia”, da Assembleia Geral que acontece nesta sexta-feira (29 de abril), os servidores do DEMLURB (O Departamento de Limpeza Urbana da Prefeitura de Juiz de Fora) disseram não à proposta de reajuste salarial feita pela administração municipal. O descontentamento foi demostrado na manhã desta quarta-feira (27 de abril), durante visita da direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), para informar à categoria sobre o andamento das negociações com a Prefeitura. “Eles não querem dar nem mesmo o IPCA retroativo a fevereiro desse ano”, disse o presidente do sindicato Amarildo Romanazzi.

Nas negociações, primeiramente a Administração Municipal ofereceu um reajuste de 0,5%, retroativo a fevereiro. A diferença para se chegar a 7,19% seria paga somente em dezembro e sem retroatividade. No último dia 19, os gestores mantiveram o índice de 7,19% divididos em três vezes: 1% retroativo a fevereiro pago em julho, mais 2% em agosto não retroativos e o restante para se chegar a 7,19% em novembro, também sem retroatividade. A direção do SINSERPU-JF recusou as propostas.

Com informações do site do SINSERPU-JF

Juiz de Fora esmola

29/04/2016

Servidor da EMPAV/Juiz de Fora também diz não ao IPCA parcelado; Assembleia geral é nesta sexta-feira

(Juiz de Fora – MG) – Os funcionários da EMPAV (Departamento de Pavimentação da Prefeitura de  Juiz de Fora) não concordam com a proposta salarial da Administração Municipal  e prometem lotar a assembleia dos servidores prevista para esta sexta-feira (29 de abril), às 18h30, na Sociedade de Medicina e Cirurgia. A categoria recebeu a direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), na manhã desta quinta-feira (28 de abril), último dia da série de visitas sindicato aos postos de concentração de trabalhadores da PJF. O objetivo dos encontros foi conversar sobre o andamento das negociações e convocar para a assembleia. Na reunião geral, sindicato e servidores definirão a estratégia de luta para garantir avanços na campanha salarial. “Se ‘a cidade tem pressa’, como o prefeito dizia em sua campanha, nós temos ânsia que esse mandato termine. Não está fácil conviver com o martírio imposto por uma autoridade que usou a valorização do servidor como promessa para se eleger”, criticou o presidente Amarildo Romanazzi.  O SINSERPU-JF negocia o reajuste dos vencimentos pelo IPCA (7,19%). Em contrapartida, a Administração oferece apenas 7,19% parcelados em três vezes.

Desvalorização – Conforme a oferta do Executivo, apenas a primeira parcela de 1% concedida em junho seria retroativa à data-base (fevereiro). Os 2% concedidos em agosto e o restante em novembro não seriam retroativos a fevereiro. O presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi ressalta que a direção descarta a proposta por considerá-la vergonhosa. “O parcelamento do índice do IPCA provoca sua desvalorização, uma vez que não será retroativo à data-base. Não podemos admitir um reajuste abaixo da inflação”, diz Amarildo.

Texto e foto: Site do SINSERPU-JF

Juiz de Fora - empav

29/04/2016

Assembleia em Juiz de Fora rejeita proposta da Prefeitura por unanimidade

(Juiz de Fora – MG) – Repetindo e consolidando a posição colhida em alguns pontos da Prefeitura (na Secretaria de Obras, no DEMLURB/Departamento de Limpeza Urbana e na EMPAV/Empresa de Pavimentação) os servidores de Juiz de Fora rejeitaram, por unanimidade, em Assembleia, a proposta de reajuste salarial da administração municipal. A reunião aconteceu na noite desta sexta-feira (29 de abril) e contou com a presença do presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira. O índice oferecido pela Prefeitura é de apenas 7,19%, parcelados em três vezes – e somente a primeira parcela, de 1%, a ser concedida em junho, seria retroativa à data-base (fevereiro). Os trabalhadores o consideraram “simplesmente inaceitável”. Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), Amarildo Romanazzi, “não se pode mesmo” admitir parcelamento de índice e muito menos reajuste abaixo da inflação. O sindicalista ressaltou, mais uma vez, que quem vai conduzir a campanha e as negociações é a categoria. “Não adianta dizer que a diretoria do SINSERPU-JF acha isso ou aquilo das propostas apresentadas. São os servidores que vão aceitar ou não. Nas assembleias, dois votos valem mais que o do Amarildo ou de qualquer outro diretor”, afirmou o presidente do Sindicato.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

9/05/2016

Sindicato de Juiz de Fora mobiliza servidores contra proposta da prefeitura; assembleia é na terça-feira

Fonte: site do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

A direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) madrugou em peso no portão do Demlurb, no Bairro Vila Ideal. Com a participação do Sindicato dos Professores (Sinpro), os diretores fizeram piquete e atrasaram a partida dos caminhões de coleta e ônibus das equipes da capina. O objetivo do movimento foi convocar para a assembleia da categoria, na próxima terça-feira (24 de maio – às 18h na Sociedade de Medicina). Durante o piquete, os diretores fizeram um breve relado do andamento das negociações da administração Bruno Siqueira com os servidores. A Prefeitura voltou atrás e está oferecendo apenas 3,25%, índice bem abaixo da inflação dos últimos oito meses.

Os sindicatos se uniram em um Fórum Sindical dos Servidores Municipais para tentar impedir que o prefeito Bruno Siqueira dê o cano nos trabalhadores. Fazem parte do fórum: SINSERPU-JF, SINPRO, SINÁGUA, SIND-MÉDICOS, SENGE, SINARQ.  Segundo o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, se a PJF não der o IPCA do período, corremos o risco de em cada quatro anos amargarmos perdas irreparáveis no nosso poder de compra. O SINSERPU-JF convoca todos os servidores à assembleia para tirar um calendário de mobilizações.

Nos últimos dias, o SINSERPU-JF vem cobrando publicamente, em manifestações e cerimônias de inaugurações da Prefeitura, a reposição do IPCA de 7,19% – e aproveitando os eventos de grande visibilidade em Juiz de Fora, como (foto) os jogos do Tupi Futebol Clube na Série B do Campeonato Brasileiro.

Sinserpu Tupi

 

25/05/2016

Servidores de Juiz de Fora decidem por paralisação no dia primeiro, com indicativo de greve

(Juiz de Fora – MG) – Reunidos em Assembleia, na noite desta terça-feira (24 de maio), os servidores públicos municipais de Juiz de Fora decidiram, por unanimidade, por uma paralisação nas atividades, no dia primeiro de junho – já com indicativo de greve. Após a reunião, os trabalhadores saíram em passeata por ruas centrais da cidade, com palavras de ordem contra o prefeito Bruno Siqueira (PMDB), a quem acusam de não cumprir a promessa de um reajuste com base no IPCA. O funcionalismo, coordenado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), exige 7,19 %; e a Prefeitura, seguindo orientação da Associação Mineira dos Municípios, só oferece 3,25%, por conta de interpretação própria dada à Legislação eleitoral – segundo a qual “reajuste em ano eleitoral só pode embutir a inflação a partir de janeiro”. Para os sindicalistas, um grande equívoco. “Essa tese da administração municipal não se sustenta. Basta levantar as prefeituras, da região e de Minas, que são muitas, que deram a reposição salarial justa, levando em conta a inflação do período compreendido entre as datas-base”, argumenta o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi.

A paralisação do dia primeiro terá a participação dos trabalhadores filiados aos sete sindicatos da cidade: SINSERPU-JF, SINAGUA, SINPRO-JF, SENGE, SINDIMÈDICOS, SINDIODONTO e SINARQ-MG, que se uniram no denominado Forum Unificado dos Servidores Municipais de Juiz de Fora.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

 

31/05/2016

Servidores de Juiz de Fora param nesta quarta-feira

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora cruzam os braços nesta quarta-feira (primeiro de junho) em protesto contra a intenção da Prefeitura de não reajustar os salários pelo IPCA dos últimos oito meses. E o Forum Unificado, que reúne sete sindicatos da cidade (entre eles os dois filiados à FESERP-MG: SINSERPU-JF e SINAGUA) promove, a partir das 8h, na Praça da Estação, região central da cidade, uma grande Assembleia conjunta, com possibilidades de um indicativo de greve. O impasse entre a administração municipal, gestão Bruno Siqueira (PMDB), e os trabalhadores começou quando a Prefeitura resolveu lançar mão de uma orientação da Associação Mineira dos Municípios (AMM), segundo a qual a Lei Eleitoral proíbe que se leve em conta índices de inflação anteriores ao do ano eleitoral. Dessa forma, o patamar do reajuste, na interpretação da AMM e da Prefeitura de Juiz de Fora, só poderá contar os meses deste ano de 2016. Ou seja, os 7,19% prometidos se “transformariam” em apenas 3,25%.

A paralisação desta quarta-feira foi decidida em assembleias do SINSERPU-JF e do SINAGUA-JF na última terça-feira (24 de maio) – mesmo processo seguido pelos outros cinco sindicatos do Forum Unificado: SINPRO-JF/professores, SENGE/engenheiros, SINDIMÈDICOS, SINDIODONTO e SINARQ-MG/arquitetos. O impasse aumentou nesta segunda-feira (30 de maio), quando em Audiência Pública realizada na Câmara dos Vereadores para debater a campanha salarial dos servidores o secretário municipal de Fazenda, Fúlvio Albertoni, afirmou que a Prefeitura ainda aguarda uma consulta feita ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sobre a orientação da AMM.

Assembleia 01 de junho 2

01/06/2016

Uma multidão de servidores nas ruas de Juiz de Fora, em Estado de Greve

(Juiz de Fora – MG) – Uma multidão de servidores públicos municipais saiu às ruas de Juiz de Fora, na manhã desta quarta-feira (primeiro de junho), para marcar o início do que deve ser um histórico movimento grevista – aliás, os trabalhadores já estão em Estado de Greve, votado e aprovado no início do dia: eles voltam a se reunir em assembleia na próxima terça-feira (7 de junho), logo às 8h, e caso não haja nenhuma proposta satisfatória por parte da Prefeitura, a paralisação começa imediatamente e por tempo indeterminado. A FESERP-MG, a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e a CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil) marcaram presença no ato e apóiam incondicionalmente a luta e as reivindicações dos servidores de Juiz de Fora. “Lançar mão de uma orientação equivocada como essa da AMM é uma injustiça, uma covardia contra os servidores”, disse o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira. “O povo na rua, os trabalhadores em greve são respostas legítimas a uma administração que tenta enganar o funcionalismo”, acrescentou. O SINSERPU-JF, um dos sete sindicatos do Forum Unificado filiado à Federação, quer os 7,19% de reposição salarial prometidos, retroativos a fevereiro; já o SINAGUA-JF, que representa os funcionários da CESAMA, a Companhia de água de Juiz de Fora e é a outra entidade das fileiras da FESERP-MG, reivindica 11,07% de reposição e mais 8% de ganho real. A administração municipal, gestão Bruno Siqueira (PMDB), tem usado a orientação da Associação Mineira dos Municípios (AMM), segundo a qual a Lei Eleitoral proíbe que se leve em conta índices de inflação anteriores ao do ano eleitoral. Dessa forma, o patamar do reajuste só poderia contar os meses deste ano de 2016, o que daria apenas 3,25%.

O ato desta quarta-feira, organizado também pelos outros cinco sindicatos do Forum Unificado (SINPRO-JF/professores, SENGE/engenheiros, SINDIMÈDICOS, SINDIODONTO e SINARQ-MG/arquitetos) e apoiado por outras centrais sindicais (como a CUT), foi marcado por um clima de revolta e indignação com a administração municipal – e também de preocupação com a situação do país e as possíveis reformas, principalmente a da Previdência, prometidas pelo Governo Federal. Na Assembleia, o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, criticou duramente “a intransigência” da Prefeitura e disse que o sindicato não vai, em hipótese alguma, abrir mão dos direitos dos trabalhadores. “O que o prefeito está tentando fazer é dar um ‘calote’ nos servidores. Isso não vamos aceitar. O que está acontecendo hoje é apenas o pontapé inicial. Não vamos aceitar esmolas, queremos o justo”, avisou. Já o presidente do SINAGUA-JF, Edinaldo Sidclei Ladeira Ramos, listou os “aumentos abusivos” de tarifas e impostos durante a atual administração (“só a taxa de água ficou 39% mais cara”, exemplificou), em contraponto à ausência de reposição de salários. Ao final comunicou que os servidores da CESAMA podem ser os primeiros a entrar em greve, a partir de hoje, dependendo de uma reunião final, à tarde, no Ministério do Trabalho.

Após a Assembleia, os servidores saíram em passeata por vias centrais da cidade, passando pelas ruas Fonseca Hermes, Batista de Oliveira, Avenida Getúlio Vargas, Rua Santa Rita e Avenida Rio Branco, finalizando a manifestação mo Parque Halfeld. E colheram a primeira vitória: a marcação de uma nova rodada de negociações, nesta quinta-feira (2 de junho), às 16h30.

Veja em breve no site da Federação (www.feserpmg.com.br) uma galeria de fotos da manifestação.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

03/06/2016

Prefeitura de Juiz de Fora insiste no “calote” aos servidores e greve é iminente

(Juiz de Fora – MG) – Na rodada de negociação desta quinta-feira (02 de junho), a Prefeitura de Juiz de Fora insistiu no que o SINSERPU-JF chama de “calote” aos servidores e, com isso, a greve geral do funcionalismo é iminente, já a partir de terça-feira (7 de junho), quando os trabalhadores fazem uma assembléia, às 8h, na Praça da Estação. Na reunião, o prefeito municipal Bruno Siqueira (PMDB) e o procurador-feral do município Leonardo Guedes avisaram aos sindicatos que vão seguir a orientação da AMM (Associação Mineira dos Municípios), na qual consta que reajustes salariais em ano eleitoral, como agora, só podem levar em conta as perdas inflacionárias do ano corrente, ou seja, 2016 – colocando “na conta” do servidor o prejuízo pela não reparação da inflação de seis meses de 2015. A administração municipal alega ainda que tal orientação da AMM está embasada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Para o presidente do SINSERPU-JF, uma avaliação equivocada. “O nosso departamento jurídico avaliou o parecer (do TRE) e concluiu que a Prefeitura pode sim dar o aumento. Eles estão usando o período eleitoral como desculpa para não atender nossa reivindicação”, disse Amarildo Romanazzi, que lembrou ainda que várias prefeituras de Minas não estão seguindo a cartilha da AMM. Das cidades cujos sindicatos são filiados à FESERP-MG raríssimas pensam em adotar a mesma postura que Juiz de Fora (Carandaí e Várzea da Palma entre elas) e a grande maioria concedeu normalmente o IPCA integral, que está previsto na Constituição, ou negociou reajustes menores citando a “crise” pela qual passa o país e não a orientação da AMM: Arceburgo, Buritizeiro, Cruzília, Ijaci, Ipanema, Leopoldina, Nepomuceno, Nova Serrana, Patos de Minas, Pitangui, São João Nepomuceno e São Sebastião do Paraíso, como exemplos.

Na última quarta-feira (primeiro de junho), os sete sindicatos do Forum Unificado (SINSERPU-JF, SINAGUA-JF – também filiado à FESERP-MG – SINPRO-JF/professores, SENGE/engenheiros, SINDIMÈDICOS, SINDIODONTO e SINARQ-MG/arquitetos) promoveram uma grande manifestação pelas ruas de Juiz de Fora (foto).

SAMSUNG CAMERA PICTURES

03/06/2016

Galeria de fotos – Paralisação em Juiz de Fora

Veja aqui, no site da FESERP-MG (canto inferior direito), a galeria de fotos da paralisação dos servidores públicos municipais de Juiz de Fora, ocorrida na quarta-feira (primeiro de junho)

 

07/06/2016

Servidores de Juiz de Fora fazem passeata, marcam nova paralisação para sexta-feira e greve geral no dia 15

(Juiz de Fora – MG) – A exemplo do último dia primeiro, os servidores de Juiz de Fora paralisaram novamente suas atividades nesta terça-feira (7 de junho), conforme decidido na Assembleia daquele dia, fizeram uma nova passeata pelas ruas principais da cidade e marcaram dois novos atos da Campanha Salarial 2016: outra paralisação na sexta-feira (10 de junho) e a deflagração de uma greve geral a partir do dia 15. O Forum Unificado (que congrega sete sindicatos do município – entre eles os dois filiados à FESERP-MG: SINSERPU-JF e SINAGUA-JF) considera inaceitável a proposta da Prefeitura de Juiz de Fora de conceder apenas 3,25%%. de reposição salarial – segundo discurso oficial do Poder Executivo, seguindo orientação da Associação Mineira dos Municípios (AMM) que prejudica enormemente os trabalhadores ao propor que a reposição das perdas inflacionárias seja apenas de um período curto, o do ano eleitoral e não dos doze meses anteriores à data-base.

A manifestação desta terça-feira teve os mesmos sentimentos da anterior, ou seja, de indignação com o “calote” que a Prefeitura pretende dar nos servidores, negando o índice prometido anteriormente, de 7,19%. A paralisação teve o apoio da FESERP-MG, da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil).

Juiz de fora 7.06 3

 

Juiz de fora 7.06

 

Juiz de fora 7.06 2

11/06/2016

Servidores de Juiz de Fora ocupam pátio da Prefeitura e divulgam parecer pela legalidade do aumento

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora voltaram às ruas nesta sexta-feira (10 de junho). Desta vez, a manifestação dos servidores municipais desembocou no pátio da prefeitura. Com palavras de ordem, a categoria ocupou o hall da instituição, exigindo respeito ao prefeito Bruno Siqueira (PMDB). Além de cobrar o cumprimento da Constituição Federal, que estabelece o direito do servidor ter a recomposição das perdas inflacionárias, a ocupação teve outros objetivos. Um deles foi protocolar o parecer do advogado João Fernando de Carvalho – um dos mais renomados especialistas em eleições do país -, que defende legalmente o posicionamento do Fórum da Unidade Sindical. O outro foi mobilizar os servidores que trabalham na sede da prefeitura e ainda não aderiram ao movimento.

Mesmo com a baixa temperatura da manhã, a categoria voltou à Praça da Estação para mais uma assembleia conjunta com os professores, engenheiros e médicos. Durante o encontro, servidores e líderes sindicais reafirmaram a decisão de nova assembleia e greve geral para quarta-feira (15 de junho). Na sexta-feira (17 de junho), às 14h, haverá audiência pública sobre o impasse do reajuste na Câmara.

Os representantes do Fórum Sindical repudiaram a ameaça do prefeito Bruno Siqueira de encaminhar a mensagem com reajuste ao Legislativo antes do término das negociações. O presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, ressaltou, ainda, que ao contrário do que o prefeito alegou, a manifestação dos servidores não é político-partidária. “É um movimento legítimo de trabalhadoras e trabalhadores que não querem ter maior defasagem salarial. Se o Executivo desse o IPCA como reivindicamos, não estaríamos nas ruas”, comenta Amarildo.

PARECER JURÍDICO – Diante do impasse entre os servidores e a Prefeitura de Juiz de Fora, o Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais buscou uma terceira via: o parecer do advogado especialista em eleições da USP, João Fernando Lopes de Carvalho. O profissional posicionou-se sobre a concessão de reajuste pelo IPCA dos servidores entre 2015 e início de 2016, dizendo que a postura do prefeito Bruno Siqueira é inconstitucional.

A proposta apresentada pela PJF representa um achatamento considerável no poder de compra dos servidores. A intenção do Executivo é dar zero por cento de reajuste. Ele limita a reposição das perdas inflacionárias aos meses iniciais de 2016, que serão abatidos no ano que vem. O ano de 2015 será esquecido. O parecer do especialista da USP foi protocolado na Prefeitura, Câmara Municipal e OAB.

Os representantes do Fórum Sindical informaram sobre a audiência pública agendada para o dia 17 de junho, às 14h na Câmara, com representantes jurídicos para esclarecer sobre a iniciativa da PJF. O jurídico do Fórum da Unidade Sindical tenta viabilizar a presença de João Fernando ao evento. Os representantes dos sindicatos repudiam a ameaça do prefeito de enviar mensagem de reajuste da categoria à Câmara Municipal sem discutir com os representantes legais. Os sindicalistas consideram a medida autoritária, uma vez que o processo de negociação não se esgotou. O Fórum Sindical apresentou, ainda, documentos que comprovam que centenas de municípios fecharam negociações com os servidores municipais, aplicando a reposição anual conforme determina a Constituição Federal (artigo 37, inciso 10). Entre os municípios que cumpriram a determinação legal estão Rio de Janeiro, Santos Dumont, Ubá, Joinville, Campo Grande, Varginha. Na pesquisa não foi encontrado qualquer município com prática semelhante ao de Bruno Siqueira. O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sinserpu-JF), Amarildo Romanazzi, rebateu a declaração do Executivo de que os servidores estão fazendo política. “Estamos querendo que se faça justiça.“ O especialista João Fernando Lopes de Carvalho se coloca à disposição da imprensa para sanar dúvidas.

Textos e fotos: site do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Juiz de Fora 10.06 1

Juiz de Fora 10.06 2

Juiz de Fora 10.06 3

Juiz de Fora 10.06 4

15/06/2016

Servidores municipais de Juiz de Fora em greve

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora estão em greve desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (15 de junho). O movimento já estava definido para esta data e foi deflagrado oficialmente após Assembleia realizada na Praça da Estação. Os trabalhadores reivindicam uma reposição salarial de 7.19% (conforme havia sido combinado anteriormente com a Administração Municipal), referente a um “resíduo” do índice inflacionário dos últimos dozes meses – e a Prefeitura de Juiz de Fora, gestão Bruno Siqueira (PMDB), só oferece 3,25%, alegando restrições contidas na Lei Eleitoral, conforme recomendação da AMM (Associação Mineira dos Municípios). Os sete sindicatos da cidade que compõem o Forum Unificado (entre eles dois filiados à FESERP-MG: SINSERPU-JF e SINAGUA-JF) questionam essa postura do Executivo, dando exemplos de várias cidades onde a Lei Eleitoral não foi usada. Nas cidades onde os sindicatos dos servidores públicos municipais são ligados à FESERP-MG raros prefeitos usaram ou usam a norma da AMM (Carandaí e Várzea da Palma como exemplos) para não conceder a reposição salarial integral.

Nesta quarta-feira, após a assembleia, os servidores seguiram até à Câmara Municipal, onde os dirigentes dos sindicatos protocolaram um parecer, de um especialista no assunto, sobre a legalidade da concessão da reposição integral. Para essa quinta-feira (16 de junho) está previsto uma nova Assembleia, às 8h, na Praça da Estação – e os servidores prometem um “velório” da administração Bruno Siqueira.

Juiz de Fora 15.06 1

 

Juiz de Fora 15.06 2

 

16/06/2016

Servidores de Juiz de Fora em greve promovem velório e enterro simbólico da Administração Municipal

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora promoveram um velório e um enterro simbólico da administração municipal, representada pelo prefeito Bruno Siqueira (PMDB), com direito a todos os símbolos fúnebres (vela, caixão e coroa). A manifestação, na manhã desta quinta-feira (16 de junho), marcou o segundo dia de greve dos trabalhadores. O motivo principal do movimento é a recusa da Prefeitura em conceder a reposição salarial integral, com base no INPC anual, 7,19% – alega restrições eleitorais, segundo recomendação da AMM (Associação Mineira dos Municípios). Para esta sexta-feira (17 de junho) está prevista uma Assembleia, às 10h, no Parque Halfeld, região central da cidade, e uma participação dos servidores em Audiência Pública na Câmara, às 14h.

Juiz de Fora 16.06 2

Juiz de Fora 16.06 3jpg

 

 

juiz de fora 16.06 1

18/06/2016

Audiência Pública mostra desprezo da Administração Municipal por servidores de Juiz de Fora

Numa das mais concorridas audiências públicas do ano, o advogado especialista em eleições de São Paulo, Alberto Luiz Mendonça Rollo, desmascarou a farsa da Administração Municipal. Amparado por documentos, ele derrubou a argumentação da procuradoria geral da PJF de que a legislação impede a correção de perdas inflacionárias ao servidor em ano eleitoral. Contando com a participação do secretariado de Bruno Siqueira, além do procurador geral, Leonardo Guedes e de comissionados, o encontro na Câmara Municipal deixou claro que o impedimento de concessão do IPCA de 2015 a 2016 não é outra coisa senão falta de vontade política.

A afirmativa ficou ainda mais evidente quando o advogado Alberto Rollo utilizou o Portal da Transparência da PJF para comprovar que há dinheiro em caixa suficiente para corrigir os salários dos trabalhadores. Dessa forma, a greve geral está mantida e uma nova assembléia acontecerá segunda-feira, às 8h, na Praça da Estação.

Durante a assembléia serão definidos os próximos passos do movimento, que se fortaleceu com a adesão de diversos setores que ainda resistiam à suspensão das atividades. Na audiência pública, o advogado paulistano reforçou o entendimento do jurídico do Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais: a Constituição Federal, pilar de toda a estruturação legal do país, não impede a recomposição de perdas do servidor em ano eleitoral. Baseando-se em jurisprudências recentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentadas em plenário, Alberto Rollo provou com documentações mostradas no telão que sim, os servidores municipais de Juiz de Fora podem receber o IPCA anual.

O procurador geral do município tentou desqualificar as argumentações do advogado de São Paulo com jurisprudências antigas, de 15 anos atrás, muitas delas com posicionamentos contrários apenas para reajustes que excedam a reposição inflacionária. O Executivo que havia encaminhado ontem (dia 16) Mensagem que prevê a recomposição inflacionária de 2016 à Câmara, informou que entrou com processo na Justiça declarando a ilegalidade da greve. O presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi, no entanto, questionou a iniciativa, considerando que o movimento obedece trâmites legais. Amarildo solicitou que a PJF retirasse a Mensagem de reajuste até que as partes chegassem a um acordo, mas o secretário da Fazenda Fúlvio Albertoni sugeriu que a decisão fosse levada à Justiça.

Texto e fotos: Imprensa do SINSERPU-JF

juiz de fora 17.06 1

Juiz de Fora 17.06 2

 

Juiz de Fora 17.06 3

 

20/06/2016

Servidores de Juiz de Fora conseguem nova rodada de negociação

(Juiz de Fora – MG) – Em greve há quatro dias, os servidores públicos municipais de Juiz de Fora conseguiram uma primeira vitória: uma nova rodada de negociações, marcada pela Administração Municipal para às 15h30 desta segunda-feira (20 de junho). A reunião foi comunicada à categoria nesta manhã, durante mais uma Assembleia, ocorrida na Praça da Estação (centro da cidade). Presente ao encontro, o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, ressaltou a força dos trabalhadores. “O movimento é vitorioso, a greve está coesa e o servidor está mostrando o seu valor, que não foge à luta. E um dos mecanismos dessa luta é o diálogo”, disse.
       Além da rodada de negociações desta segunda-feira, outra Audiência Pública sobre a campanha salarial está marcada na Câmara Municipal, para amanhã (terça-feira, 21 de junho) – a segunda em cinco dias em que os vereadores da cidade, os sindicalistas e parte da população discutem o tema.
       O impasse em Juiz de Fora se dá por conta de uma interpretação, pela administração, da Lei Eleitoral, segundo o qual só seria permitido conceder de reposição salarial índices inflacionário incidentes no ano das eleições, ou seja, a partir de janeiro. O Fórum Unificado (que reúne sete sindicatos da cidade, entre eles dois filiados à FESERP-MG: o SINSERPU-JF e o SINAGUA-JF) não aceita essa tese, pois as perdas com a inflação devem sim englobar desde a última data-base, ou seja, os últimos 12 meses. “Na visão da Prefeitura são 3,25% de reajuste; na nossa, 7,19% de reposição salarial. Não podemos aceitar menos que isso. Por essa razão consideramos que estamos levando um ‘calote’ da Administração”, tem argumentado o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi.
       A greve em Juiz de Fora conta com o apoio da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil)
SAMSUNG CAMERA PICTURES
SAMSUNG CAMERA PICTURES
SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

 

22/06/2016

Nova negociação, nesta quarta-feira, pode definir rumos do movimento em Juiz de Fora

Prosseguem as negociações entre o Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais e a Prefeitura de Juiz de Fora. Na reunião desta segunda-feira (20 de junho), as partes voltaram a discutir índices e, ao final, o secretário da Fazenda, Fúlvio Albertoni, declarou que apresentaria um posicionamento na próxima rodada de negociação, nesta quarta-feira (22 de junho), às 14h.

Na assembleia desta terça-feira (21 de junho), os servidores votaram pela continuidade do movimento (foto) iniciado no dia 15 de junho. A categoria volta a se reunir em assembléia nesta quarta-feira (22 de junho), a partir das 9h, desta vez, no Parque Halfeld. Em ato de solidariedade, os servidores levarão um quilo de alimento não perecível para entidades filantrópicas ou um agasalho para moradores de rua.

Os advogados do Fórum da Unidade Sindical impetraram mandato de injunção contra o Município com vistas a solucionar o impasse. O departamento jurídico dos servidores ainda examina o teor da ação do Executivo no Tribunal de Justiça de Minas Gerais sobre a legalidade da greve. Para isso, o jurídico irá a Belo Horizonte apresentar as argumentações das entidades sindicais.

Com atividades suspensas há uma semana, os servidores reivindicam a correção das perdas inflacionárias entre 2015 e 2016. Valendo-se de uma lei ambígua de 1997 e nunca utilizada pelos prefeitos anteriores, a Administração recusa-se a conceder aos trabalhadores o que é assegurado pela Constituição Federal.

Texto e foto: Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Juiz de Fora 21.06

 

22/06/2016

Servidores de Juiz de Fora votam nova proposta da Prefeitura nesta quinta-feira

A Administração Municipal de Juiz de Fora apresentou uma nova proposta salarial ao Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais. Índices e forma de pagamento ainda estão sendo debatidos, nesta quarta-feira (22 de junho), levando-se em conta todos os recursos argumentativos. O resultado será avaliado na assembleia desta quinta-feira (23 de junho), às 9h, no Parque Halfeld, podendo ser aprovado ou descartado pela maioria dos trabalhadores presente.

Durante a o encontro dos servidores em greve e o Fórum Sindical, nesta quarta-feira, no Parque Halfeld, a categoria manifestou-se favorável à continuidade do movimento até que o Executivo reveja a decisão de não corrigir as perdas da categoria entre 2015 e 2016. Os servidores consideraram um avanço o retorno das negociações e manifestaram otimismo com relação ao fim do impasse ainda esta semana. Em ato de solidariedade, os trabalhadores fizeram doações de alimentos, agasalhos e cobertores à Sociedade Sopa dos Pobres.

Textos e fotos: Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Juiz de Fora 22.06 1

 

 

Juiz de Fora 22.06 2

 

Juiz de Fora 22.06. 3

 

Juiz de Fora 22.06. 4

 

Juiz de Fora 22.06 5

23/06/2016

Prefeitura de Juiz de Fora adia decisão sobre nova proposta – e greve continua

A greve dos servidores públicos municipais de Juiz de Fora continua. Nova assembleia está marcada para as 10h desta sexta-feira (24 de junho), no Parque Halfeld, para a apresentação do resultado das últimas conversações. O Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais passou quase quatro horas reunido, hoje, pela manhã, com o Executivo para que se chegasse à possibilidade de reposição do IPCA de 2015 a 2016 à categoria.

O Fórum Sindical espera concluir as discussões de forma favorável aos servidores para que a greve seja encerrada. Entre o que já foi garantido está o não corte de ponto dos grevistas, um acordo vitorioso para a categoria.
Nas duas reuniões realizadas, quarta e quinta-feira (22 e 23 de junho), a correção das perdas inflacionárias anuais passou a ser considerada pelo Executivo, ficando para ser discutida a forma de pagamento. Embora isso tivesse ficado acertado ontem, hoje, os gestores recuaram, mas ao longo das discussões cederam.
Devido à indecisão dos gestores, a assembleia votou pela continuidade do movimento. A categoria votou ainda contra a possibilidade de aprovação pelos vereadores da Mensagem do Executivo que prevê a correção dos vencimentos pelo IPCA de janeiro a junho deste ano.
Os servidores mantiveram-se firmes no Parque Halfeld pela manhã, aguardando o resultado das negociações. O Fórum Sindical serviu lanche e animou o movimento com carro de som. E, mesmo aguardando um desfecho favorável esta semana, a categoria demonstrou estar disposta a prosseguir na luta, caso seja necessário.

Texto e foto: Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Juiz de Fora 23.06

 

25/06/2016

Forum Sindical dos servidores de Juiz de Fora vai a Belo Horizonte fechar acordo

Representantes do Fórum da Unidade Sindical dos Servidores Municipais estarão em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (27 de junho), para homologar o acordo de reposição inflacionária perante ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). A medida atende à exigência do procurador geral, Leonardo Guedes, que, para manter o jogo de cena, alega buscar a garantia de que o município não será penalizado por pagar o IPCA de 2015 a 2016.

Devido à ação de ilegalidade da greve impetrada pelo Município no TJMG, haverá, ainda, audiência de conciliação entre PJF e fórum sindical. Prevista para o dia 30, a sessão foi antecipada para segunda-feira, uma vez que o último dia do mês é o prazo final para a concessão do reajuste conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal.
Na última negociação, o Executivo aceitou aplicar o IPCA anual aos salários dos servidores. A aplicação será da seguinte forma: 1,27% retroativo a fevereiro, 0,90% retroativo a março, 0,43% retroativo a abril, 0,61% retroativo a maio, 0,78% retroativo a junho. A inflação de junho apurada em julho aponta para 0,33% conforme o Boletim do Banco Central. Somados esses índices, chega-se a 4,40% que serão pagos em agosto. Em novembro, será feita a recomposição salarial com a diferença do índice para se chegar a 7,19%.
Para o Fórum da Unidade Sindical, a recomposição do IPCA anual aos servidores é uma conquista do movimento. “Se a gente não tivesse cruzado os braços e ido para as ruas, ficaria sem a recomposição das perdas inflacionárias de 2015. Imaginem se essa moda pega? A cada quatro anos ficaríamos sem reajuste”, ressaltou o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi.
Os representantes sindicais voltaram a lembrar na assembleia de sexta-feira, 24 de junho (foto) que centenas de municípios em todo o país já concederam a reposição inflacionária anual a seus servidores. Ao final do encontro a categoria aprovou a proposta do IPCA parcelado pela PJF e definiu pela continuidade da greve até o fechamento do acordo. Nova assembleia acontecerá segunda-feira, às 14h, no Parque Halfeld.

Texto e foto: Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Juiz de Fora 24.06

27/06/2016

Com a chancela da FESERP-MG, servidores de Juiz de Fora fecham acordo após greve vitoriosa

(Belo Horizonte – MG) – Na presença da FESERP-MG (presidente Cosme Nogueira e assessores jurídicos Eldbrendo Monteiro e Carlos Eduardo Gonçalves), os sindicatos dos servidores públicos municipais de Juiz de Fora fecharam, na manhã desta segunda-feira (27 de junho), um acordo de reposição inflacionária – coroando assim uma luta iniciada no último dia 15, com greve, assembleias, passeatas e defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores. A homologação aconteceu no Tribunal de Justiça de Minas (TJMG), em Belo Horizonte, em Audiência de Conciliação conduzida pelo desembargador Alberto Vilas Boas. Pelo acordo, a Prefeitura de Juiz de Fora se compromete a aplicar o IPCA requerido pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), 7,19%, da seguinte forma: 1,27% retroativo a fevereiro; 0,90% retroativo a março; 0,43% retroativo a abril; 0,61% retroativo a maio; 0,78% retroativo a junho – totalizando 4,40%, que serão pagos em agosto. A diferença, para 7,19%, será recomposta em novembro. Ficou acertado ainda que os dias parados por conta da greve não serão descontados, configurando outra vitória do funcionalismo.

Além dos membros da FESERP-MG, participaram da Audiência no TJMG o presidente e a advogada do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi e Elisângela Márcia do Nascimento Vidal, representantes do Sindicato dos Professores (a coordenadora-geral Cida Oliveira, o diretor financeiro Roberto Kalam e o advogado Rodrigo Vidal), do Sindicato dos Engenheiros – Regional Zona da Mata (o diretor administrativo Fernando José), do Sindicato dos Médicos (o tesoureiro Carlos Roberto Gasparete e o advogado João Fernando Lourenço), do Sindicato dos Arquitetos do Estado de Minas Gerais (a vice-presidente Amélia Maria Costa Silva) e Wilson Cézar de Oliveira Mattos (do Conselho Fiscal do SINSERPU). Pela Prefeitura, participaram o procurador-geral do Município, Leonardo Guedes, e os secretários municipais de Administração e Recursos Humanos, Andreia Goreske, Fazenda, Fúlvio Albertoni, e Comunicação, Michel Guedes.

Em sua decisão, a pedido da Administração Municipal e com a anuência dos sindicalistas, o desembargador Alberto Vilas Boas decidiu que tal acordo não fere a Lei Eleitoral, como sempre defendeu a Prefeitura de Juiz de Fora, que seguia uma orientação da AMM (Associação Mineira dos Municípios) – de levar em conta apenas a inflação do ano de eleição, ou seja, desde janeiro de 2016. O Forum Sindical (que reúne sete entidades) nunca aceitou tais argumentos, reivindicando a reposição de 12 meses, desde a última data-base. E esse impasse levou à greve, cujo fim deve ser decidido em Assembleia marcada para as 14h desta segunda-feira (27 de junho). O magistrado determinou ainda que a Prefeitura envie à Câmara Municipal os termos do acordo o mais rápido possível – incluindo outro projeto, que reajusta o ticket-alimentação também em 7,19%, já que as matérias precisam ser aprovadas pelos vereadores até o dia 2 de julho. .

“A luta dos trabalhadores foi recompensada e o diálogo prevaleceu. Os sindicatos e os servidores estão de parabéns. E estamos bastante orgulhosos das nossas entidades filiadas, SINSERPU-JF e SINAGUA-JF”, disse o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, falando também em nome da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil). Para Amarildo Romanazzi, é preciso “valorizar a mobilização do Forum e elogiar a compreensão e a confiança da categoria. Foi uma greve histórica, de muito êxito e está provado, também para movimentos futuros, que a Lei Eleitoral não pode ser usada para prejudicar os trabalhadores”.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

 

27/06/2016

Servidores de Juiz de Fora celebram vitória do movimento

(Juiz de Fora – MG) – Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora se reuniram no final da tarde desta segunda-feira (27 de junho), no Parque Halfeld (centro da cidade), para suspender a greve, iniciada no dia 15, e celebrar a vitória do movimento, O ápice do evento foi a chegada da delegação que foi a Belo Horizonte homologar, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o acordo entre o Forum Sindical e a Prefeitura Municipal. Estavam na capital mineira o presidente da FESERP-MG (Cosme Nogueira), o presidente, a advogada e o membro do Conselho Fiscal do SINSERPU-JF (Amarildo Romanazzi, Elisângela Márcia do Nascimento Vidal e Wilson Cezar de Oliveira Matos), a coordenadora-geral, o diretor financeiro e o advogado do Sindicato dos Professores (Cida Oliveira, Roberto Kalam e Rodrigo Vidal Ribeiro de Oliveira) e o diretor administrativo do Sindicato dos Engenheiros – Regional Zona da Mata (Fernando José).

Eles informaram oficialmente à categoria as vitórias, colocadas no papel: reposição de salarial de 7,19% – 4,40%, já em julho e a diferença em novembro; abono dos dias parados e aumento do ticket-alimentação também de 7,19%. “Não foi uma vitória do Forum Sindical e sim de toda a categoria”, resumiu o presidente do SINSERPU-JF,citando a união dos sete sindicatos de servidores de Juiz de Fora. Cosme Nogueira foi na mesma linha, de exaltação à garra e a luta dos grevistas mas ressaltou também o trabalho dos departamentos jurídicos dos sindicatos. “A determinação dos servidores nas ruas deu aos advogados a base para derrubaram a equivocada tese da Prefeitura que não se pode conceder reposição integral em ano eleitoral”, disse o presidente da FESERP-MG.

Juiz de Fora 27;-6 026

 

Juiz de Fora 27;-6 009

 

Juiz de Fora 27;-6 021

Juiz de Fora 27;-6 033

Juiz de Fora 27;-6 063

Juiz de Fora 27;-6 068

 

16/08/2016

Em reunião no SINSERPU-JF, presidente da FESERP-MG alerta para “armadilhas” da PEC 241

(Juiz de Fora – MG) – Durante participação na reunião de diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF), na última sexta-feira (5 de agosto), o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, mostrou preocupação com a futura PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 241/2016, em fase de ajustes finais na elaboração pelo Palácio do Planalto. “Pelo que ouvimos em Brasília, de alguns deputados, e pelo texto em gestação, faz se necessário ligar o sinal de alerta. É um novo regime fiscal e como sempre a corda vai estourar do lado do trabalhador”, disse Cosme Nogueira. “Além de tirar verbas da saúde e da educação, novas penalidades estão previstas para o servidor público. É um novo pacote de maldades contra o funcionalismo. A FESERP-MG e a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) estão desde já atentos à situação e pede aos seus sindicatos filiados que mantenha a mesma postura”, completou o presidente da Federação.

Na reunião, antes de abordar a PEC 241, Cosme Nogueira agradeceu a participação juizforana (nove integrantes) na delegação da FESERP-MG que foi a Brasília (DF), em seis dias de agosto, para protestar contra a votação do PLP (Projeto de Lei Complementar) 257. “É uma segurança saber que sempre podemos contar com o SINSERPU-JF, uma das bases mais sólidas da nossa Federação”, disse o presidente da FESERP-MG. “Sempre caminharemos juntos. A Federação e a CSB são nossos guias na luta”, devolveu o presidente do Sindicato, Amarildo Romanazzi.

Sinserpu 12.08 019

 

22/08/2016

Audiência Pública na Câmara discute agressões a servidores públicos em Juiz de Fora

(Juiz de Fora – MG) – A FESERP-MG e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF) participaram, na tarde desta segunda-feira (22 de agosto), de uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Juiz de Fora sobre recentes agressões, verbais e físicas, a servidores públicos na cidade – no caso mais emblemático, no último dia 21, uma técnica de enfermagem foi agredida fisicamente no Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente da Prefeitura por uma mulher que esperava para vacinar o filho. “A insatisfação pelo péssimo serviço prestado pela Prefeitura é a razão desse tipo de agressão. O servidor é obrigado a dizer, por exemplo, que faltam medicamentos no posto de saúde e o cidadão, infelizmente, recebe esse tipo de informação como um mau atendimento”, disse o presidente do SINSERPU-JF, Amarildo Romanazzi. Ele pediu a presença constante da Guarda Municipal em locais estratégicos, para evitar novas agressões, e apoio da Prefeitura ao servidor, no sentido de ajudá-lo a denunciar o agressor. “Realmente são duas vertentes nessa questão.É preciso garantir um bom serviço público à população e condições seguras de trabalho ao servidor”, concordou o presidente da FESERP-MG, Cosme Nogueira, que também pediu a presença da Polícia Militar e da Guarda Municipal. Amarildo e Cosme ressaltaram que agressões ao trabalhador diferem e são mais graves que agressões ao patrimônio, pois na verdade “o grande patrimônio de uma administração pública é justamente o servidor”.
notadamente nas áreas de atendimento de saúde à população.
Também participaram da Audiência na Câmara dos Vereadores o presidente do Sindicato dos Médicos, Gilson Salomão, a Ouvidora Municipal de Saúde, Samantha Borchear,. e o secretário municipal de Segurança Urbana e Cidadania, José Armando Silveira, os vice-presidentes do SINSERPU-JF Ivan Expedito Catarina e Francisco Carlos da Silva, e o diretor da FESERP-MG Anderson Alvim, entre outros.
Audiência 22.08 014
Audiência 22.08 018
Audiência 22.08 023
Audiência 22.08 004

29/09/2016

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui (e no facebook da FESERP-MG) o Informativo de setembro/2016 do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF).
???????????????????????????????

21/11/2016

Jornal do Sindicato de Juiz de Fora

Leia aqui ou no facebook da Federação (www.facebook.com/feserpmg) a edição de outubro do Jornal do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juiz de Fora (SINSERPU-JF)

Jornal de Juiz de Fora – Outubro (1)

Jornal de Juiz de Fora - Outubro

 

  • FESERP-MINAS
  • Avenida Brasil, 1975, loja 223 - Solar Center - Centro, Juiz de Fora (MG) CEP: 36060-070 - Avenida Bernardo Vasconcelos, 1252-A, Bairro Cachoeirinha, Belo Horizonte (MG) - CEP 31150-000
  • Telefones: (32) 3214-1316, (31) 3653-7484 e 3653-7499
  • Todos os direitos reservados à Federação Estadual Única, Democrática dos Sindicatos de Servidores, Funcionários Públicos das Câmaras de Vereadores, Fundações, Empresas Públicas, Autarquias e Prefeituras Municipais de Minas Gerais
  • Site desenvolvido pela Agência Infinit0